Bauru

Polícia

Motorista de app é preso por estupro

De acordo com a Polícia Civil, suspeito é investigado por outros crimes similares cometidos em Bauru e em cidades da região

por Larissa Bastos

11/09/2021 - 05h00

Malavolta Jr.

Gustavo Bertho Zimiani é o responsável pelas apurações do caso

Foi preso, na noite desta quinta-feira (9), um motorista de aplicativo, de 42 anos, acusado de ter estuprado uma mulher em maio deste ano, no Parque São Cristóvão, em Bauru. O homem ainda é apontado como suspeito pela Polícia Civil de outros crimes sexuais que teriam sido cometidos não só na cidade, mas também em Lençóis Paulista, Borebi e Macatuba, desde 2010. Ele, que não teve a identidade divulgada pela corporação, foi detido após a Justiça decretar a sua prisão temporária e acabou sendo encaminhado à Cadeia Pública de Espírito Santo do Turvo.

De acordo com Gustavo Bertho Zimiani, delegado-assistente da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Bauru e responsável pelas investigações, um inquérito policial já apurava um delito de estupro que teria sido praticado por um motorista de aplicativo na cidade em maio deste ano. Na ocasião, uma jovem solicitou uma corrida por meio do aplicativo de transportes JPCar e, durante o trajeto, o condutor teria a levado até um local ermo no Parque São Cristóvão e a estuprado.

Após o registro do boletim de ocorrência (BO), a polícia iniciou as investigações para identificar o autor do crime e chegou ao suspeito por conta dos depoimentos da vítima. "Durante as apurações, que duraram três meses, surgiram ao menos três novas ocorrências de delitos sexuais praticados por um condutor de veículo de transporte de aplicativo em um Chevrolet Ônix prata, que estaria importunando mulheres na rua, se masturbando perto delas e tentando estabelecer contato com as vítimas, assediando elas. A partir disso, começamos a relacionar os fatos", detalha.

Ainda com as investigações, segundo o delegado, surgiu também a hipótese de que delitos semelhantes aos de Bauru em outras cidades da região, com mulheres adultas e até com adolescentes, teriam todos a mesma autoria, especialmente em Lençóis Paulista, onde o homem preso nesta última quinta-feira reside. Também foram registradas denúncias similares em Borebi e Macatuba. "Em Lençóis, suspeitamos que ele esteja cometendo crimes sexuais desde 2010", observa Zimiani.

Diante disso, o homem foi preso temporariamente em Lençóis Paulista (43 quilômetros de Bauru), por equipes do 13.º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) da PM. Agora, essa prisão colaborará para que a Polícia Civil prossiga com as investigações tanto do inquérito que já está instaurado, sobre o estupro ocorrido em maio, quanto em relação aos outros delitos registrados.

EM ESTÁGIO INICIAL

Segundo Zimiani, o inquérito está em fase inicial e ainda existem muitas informações que precisam ser apuradas. "Pelas relatos das vítimas, nós vinculamos as características tanto das ocorrências quanto do possível autor para chegar ao suspeito. Porém, está em estágio inicial. Não sabemos ainda, por exemplo, se ele usava outros aplicativos além do JPCar e se tinha outra ocupação além desta. Ele ainda não foi interrogado", explica.

Além disso, o delegado não descarta a possibilidade de que outras possíveis vítimas deste mesmo homem procurem a polícia para denunciá-lo, caso ainda não tenham feito isso. Vale lembrar que, para reportar crimes de natureza sexual, basta ligar para 190 (PM), 197 (Polícia Civil), procurar uma delegacia ou registrar BO eletrônico pelo site https://www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br/ssp-de-cidadao/home.

APLICATIVO

A reportagem tentou falar com a JPCar a fim de saber sobre suas políticas para garantir a segurança de seus passageiros. Apesar de contatos tentados por meio de e-mail, ligação telefônica e WhatsApp disponibilizados nos canais da empresa, o JC não obteve retorno até o fechamento desta edição.

Ler matéria completa

×