Bauru

Polícia

Mais três são presos por feminicídio

Duas pessoas confessaram ser mandante e coautor do crime que vitimou Paula Adriana Riguetti, na última segunda-feira

por Larissa Bastos

25/09/2021 - 05h00

Redes Sociais/Reprodução

Paula Adriana Riguetti, de 41 anos, foi golpeada mais de dez vezes na altura do tórax e do estômago

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em ação conjunta com a Polícia Militar (PM), prendeu temporariamente mais três pessoas suspeitas de envolvimento no feminicídio registrado na madrugada da última segunda-feira (20), em Bauru. Segundo a autoridade policial, duas delas, inclusive, confessaram formalmente terem sido o mandante e o coautor do crime. As identidades desses novos investigados não foram divulgadas pela corporação. Além do trio, o namorado da vítima, de 30 anos, foi preso em flagrante no local do feminicídio e teve a preventiva decretada pela Justiça.

Conforme o JC noticiou com base em informações do boletim de ocorrência (BO), Paula Adriana Riguetti, de 41 anos, morreu após ser esfaqueada várias vezes na altura do tórax e do estômago dentro da própria casa, na Vila Marajoara, região do Jardim Petrópolis.

Na ocasião, ainda segundo o BO, a Polícia Técnico-Científica encontrou pegadas de sangue no chão do imóvel - de pés descalços e de sola de sapato -, que, quando comparadas com o solado do calçado do namorado e com o pé dele, constatou-se que eram idênticas.

Ainda segundo o registro policial, após ter inicialmente negado o crime, o homem teria acabado confessando aos militares ser o autor do homicídio. Ele também apresentava um arranhão recente no nariz, o que indicaria luta corporal com a mulher. Diante desses fatos, a prisão em flagrante por feminicídio do namorado foi ratificada no mesmo dia pela Polícia Civil.

CONFISSÕES

"O namorado, quando foi preso, se referiu a um tal de 'Veio'. Os policiais militares conduziram esse 'Veio' até a DDM e, a partir daí, conseguimos a confissão e a delação. Foi dito que o casal vizinho da casa da vítima (onde ocorria um churrasco no dia dos fatos) foi o mandante do crime. O local era ponto de venda de drogas e o casal suspeitava que a vítima estivesse passando informações para a polícia. Por isso, contrataram o 'Veio'", explica a delegada responsável pelas investigações, Márcia Regina dos Santos.

"Quando foi ouvido, o 'Veio' disse que o namorado da vítima também desferiu golpes de faca. Então, com os nomes dos mandantes, representei pela prisão temporária dos três, que foi deferida pela juíza", complementa.

Além disso, na mochila do 'Veio', foi encontrada a faca usada no crime, segundo o próprio suspeito relatou à polícia. A arma branca foi apreendida.

DISPOSIÇÃO

Agora, os quatro suspeitos de envolvimento no crime deverão permanecer à disposição da Justiça em presídios da região até a conclusão do inquérito policial.

A DDM ainda aguarda a conclusão dos laudos periciais elaborados no local, como o necroscópico e o resultado da coleta do material subungueal (que fica embaixo da unha).

Ler matéria completa

×