Bauru

Polícia

Jovem morre após ter corpo queimado em acidente com tacho no Pq. Jaraguá

Vítima segurava utensílio enquanto namorado tentou reacender fogo com álcool; ela ficou 20 dias internada, mas não resistiu

por Larissa Bastos

29/09/2021 - 05h00

Arquivo Pessoal/Reprodução

Larissa Quinalha

Uma jovem de 23 anos morreu após ter grande parte do corpo queimado por conta de uma explosão em um tacho, utensílio usado para assar ou fritar carnes. O acidente que culminou com a morte de Larissa Cristina Quinalha Ribeiro ocorreu em uma casa no Parque Jaraguá, em Bauru. A vítima, que ficou 20 dias internada lutando pela vida, não resistiu na noite da última segunda-feira (27). Nesta terça (28), sob forte comoção, ela foi sepultada.

A mãe de Larissa, Gisleide Cristina Quinalha, de 39 anos, conta que a filha teve 85% do corpo queimado. Segundo ela, no último dia 7, a garota estava assando carnes com o namorado no tacho, quando eles notaram que a chama que esquentava o equipamento havia apagado. "Ela ficou segurando o tacho para ele jogar o álcool e reacender o fogo. Antes de jogar, ele até pediu para ela se afastar. Mas, logo que ele jogou, houve uma explosão e, como minha filha estava na direção do vento, o fogo foi na direção dela. O corpo dela inteiro ficou em chamas", detalha.

O fato foi presenciado por familiares e pela filha da vítima, de apenas 7 anos. Depois que eles conseguiram apagar as chamas, Larissa, que era supervisora de limpeza, foi levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com queimaduras de terceiro grau por todo o corpo. No dia seguinte, ela foi transferida para a UTI do Hospital Estadual (HE).

"Ela passou por várias cirurgias, mas foi piorando. Além das queimaduras de segundo e terceiro grau, ela teve água no pulmão; depois, uma pneumonia, seguida por uma bactéria no sangue, até ter falência dos rins e apresentar uma infecção generalizada. Foi quando ela não resistiu", narra a mãe.

'ESTAVA FELIZ'

"Larissa era uma menina cativante, de coração maravilhoso. Muito alegre. No dia do acidente, ela estava muito feliz. Tinha conseguido comprar uma casinha na Vila Falcão e começaria a tirar carta em outubro. Ela sempre dizia para o pai (padrasto) dela que queria voltar a estudar e ele a incentivava. Minha filha entrou comigo no hospital falando e tive que tirar ela de lá em um 'paletó de madeira'. Mas, Deus sabe de todas as coisas e só Ele sabe o quanto ela sofreu com tudo isso. Nós perdemos uma estrela. Está muito difícil… mas ela precisava descansar", desabafa Gisleide, emocionada.

A morte ocorreu por volta das 20h40 desta segunda-feira (27). Larissa foi velada na manhã desta terça-feira (28) no velório municipal do Cemitério da Saudade, sob muita comoção de amigos e familiares. O sepultamento foi à tarde, no Cemitério Cristo Rei. A jovem deixa a filha de 7 anos, a mãe, o pai e o padrasto, além de dois irmãos, tios e primos.

O Hospital Estadual comunicou o óbito para a Polícia Civil.

Ler matéria completa

×