Bauru

Polícia

Criança morre após ser atropelada com bicicleta que ganhou de aniversário

Presente foi dado para celebrar os 6 anos do menino, que morreu poucas horas após o acidente, registrado no Parque Bauru

por Larissa BastosMarcele tonelli

13/10/2021 - 05h00

Arquivo Pessoal/Reprodução

Rafael Zanon Pereira

Um menino de 6 anos morreu, na noite desta segunda-feira (11), poucas horas após ser atropelado por um carro, enquanto brincava com a bicicleta que ganhou de aniversário, celebrado no domingo (10), no Parque Bauru. O motorista fugiu do local sem prestar socorro e, até o fechamento desta edição, não havia se apresentado à polícia.

De acordo com o boletim de ocorrência (BO), Rafael Zanon Pereira foi atingido por volta das 17h40, no cruzamento das ruas Maria José Cordovil de Souza e Lázaro Fernandes de Lima. O pai da vítima, Nelson Francisco Pereira Neto, de 30 anos, socorreu a criança.

"Meu filho ficou preso embaixo do carro. Ele olhou para mim e tentou falar comigo, mas não saiu voz. Estava sangrando muito. Então, consegui, com a ajuda de um primo e um funcionário, levantar o carro, tirá-lo e levá-lo para a UPA. E, enquanto estava levando meu filho para o médico, o motorista fugiu do local", conta o pai.

Depois de receber os primeiros atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Geisel, Rafael foi transferido para o Hospital de Base (HB), com suspeita de traumatismo craniano, fratura na bacia e nas pernas. Porém, por volta das 21h30, enquanto realizava uma tomografia, não resistiu aos ferimentos e morreu.

"Meu filho fez aniversário domingo. E, na segunda-feira, quando ele tinha 6 anos e um dia, foi tirado de mim. Não existem palavras para expressar o que eu estou sentindo. Eu peço que [o motorista] se entregue [à polícia]. Eu vivi seis anos com um anjo. Com meu grudinho. Mas ele não vai voltar mais. Agora é só saudade. Eu quero justiça", relata o pai da vítima, bastante emocionado.

Rafael foi velado sob forte comoção na manhã desta terça-feira (12), no Velório São Vicente do Jardim Redentor, e sepultado à tarde, no Cemitério do Redentor.

LOCALIZAÇÃO

Ainda segundo Nelson, ele conseguiu encontrar o motorista do veículo por meio de imagens de câmeras de segurança nos arredores. "Conversei com ele por telefone e ele disse que falou com o advogado dele e amanhã vai se entregar", lamenta o pai. A Polícia Civil de Bauru investigará o caso.

'Ele tinha o sonho de ser policial', relata o avô

O avô da vítima, Edson Francisco Pereira, 50 anos, conta que Rafael tinha o sonho de ser policial militar. Mais precisamente, queria ser membro do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep). "Ele era super arteiro, ativo, extrovertido. Gostava muito de brincar. Ele brincou muito, inclusive, por causa do aniversário, com os brinquedos novos. Mas é difícil fazer aniversário em um dia e no outro dia ter a vida tirada, ainda mais de uma criança que tinha tudo pela frente. Ele está com uma coroinha na cabeça porque estava ensaiando para a formatura na creche, que ele ia ser o príncipe da formatura. Quando você olha meu netinho no caixão, não fala que ele tem seis anos, porque era bem forte. Mas ele infelizmente não aguentou. Eu fui privado de ouvir ele falando 'vovô, eu te amo'. Essa foi a última coisa que ele me disse ontem [domingo], quando eu estava indo embora. É difícil. A gente quer justiça", relata o avô, bastante abalado.

Ler matéria completa

×