Bauru

Polícia

Prédio com 300 pessoas tem princípio de incêndio e precisa ser evacuado

Ação rápida dos bombeiros evitou que chamas se alastrassem pelo estacionamento do local; ninguém ficou ferido

por Larissa Bastos

12/11/2021 - 05h00

Larissa Bastos

Incêndio no prédio mobilizou Corpo de Bombeiros no combate às chamas; PM também compareceu

Um prédio recém-construído no cruzamento da rua Gustavo Maciel com a av. Duque de Caxias, no Centro de Bauru, foi atingido por um princípio de incêndio na tarde desta quinta-feira (11). Quando as chamas começaram, cerca de 300 pessoas estavam na unidade, onde funciona uma rede de clínicas médicas, conforme informou a diretoria da empresa ao Corpo de Bombeiros. O edifício foi evacuado e ninguém se feriu. A rua ficou interditada por pouco mais de uma hora até a finalização dos trabalhos no local.

De acordo com os bombeiros, o fogo começou por volta das 16h. "Quando chegamos, a prioridade era retirar as pessoas lá de dentro. Quando terminamos a evacuação, buscamos pela origem do incêndio e encontramos, no segundo subsolo, vários materiais diversos, de escritório, elétricos e de manutenção, em chamas. Imediatamente, iniciamos o combate, que durou cerca de 30 minutos. Nós agimos rapidamente e o fogo ficou concentrado nos materiais. Evitamos que se espalhasse. Muitos carros estavam estacionados lá e poderiam ter sido atingidos. A estrutura do prédio também não foi afetada", detalha o tenente Dante Dias Vivan, responsável pela ocorrência.

Ainda segundo o oficial, esses objetos, que estavam em um espaço de aproximadamente 30 metros quadrados, ficaram destruídos. Porém, a fumaça produzida pela queima dos itens se alastrou para o primeiro subsolo e pelo térreo, além de ter assustado populares que estavam na rua. No portão de entrada para o estacionamento, era possível ver a mancha deixada pela fumaça.

CAUSAS

Após o rescaldo, os bombeiros analisaram o local e não encontraram indícios de que as chamas tenham sido causadas por algum problema elétrico. "Porém, somente a perícia terá condições de apontar a real causa do incêndio. O local ficou interditado para que os peritos pudessem trabalhar e identificar essa origem. O importante é que a ação foi rápida e conseguimos evitar maiores danos materiais, mas, principalmente, que alguém ficasse ferido ou tivesse alguma intoxicação pela fumaça", conclui o tenente. Estiveram no local, além de cinco viaturas do Corpo de Bombeiros, equipes da PM, do Samu, do GOT e até um caminhão-pipa do DAE.

Por volta das 16h30 de ontem, funcionários da empresa aguardavam pela desinterdição em frente ao prédio para poder retirar os próprios veículos que estavam estacionados no interior do espaço.

Representantes da empresa que estavam no local informaram à reportagem que não iriam se pronunciar sobre o assunto.

Ler matéria completa

×