Bauru

Polícia

Jovem negra faz BO após suástica ser desenhada ao lado de seu apartamento

Polícia Civil de Bauru investigará o caso; administradora do prédio pediu que moradores denunciem atos de vandalismo

por Larissa Bastos

24/11/2021 - 05h00

Arquivo Pessoal/Reprodução

Administradora do condomínio pintou o local

Uma jovem negra de 22 anos registrou um boletim de ocorrência (BO) para denunciar o desenho de uma suástica nazista que foi feita na parede ao lado da porta do apartamento dela, no Jardim Contorno, em Bauru. A administradora do condomínio classificou o ato como "vandalismo" e divulgou uma nota interna pedindo que os moradores denunciem tais atos. A Polícia Civil investigará o caso.

O símbolo foi notado no último dia 8. Raquel Euzébio Oliveira conta que saía de casa por volta das 17h, quando uma amiga visualizou a suástica. "Como foi riscado com um objeto pontiagudo e não com caneta, não era muito perceptível. Cheguei ao lado dela para ver o que era e vi o símbolo riscado na parede, entre minha porta e o elevador", narra.

No dia seguinte, a jovem procurou a síndica do prédio para denunciar a situação. "Disse a ela que fiquei bem assustada e que se trata de crime de apologia ao nazismo. E eu, como mulher negra, acabei me sentindo ameaçada. Existem outras pessoas negras que residem aqui no prédio também. Então, acho que não podemos deixar a segurança de 500 pessoas à mercê porque eventualmente seria algo inofensivo", alerta.

DENÚNCIA

O boletim de ocorrência que denunciou o crime racista foi registrado em 10 de novembro. A lei federal antirracismo (Lei 7.716, de 1989) determina que é crime "veicular símbolos" do nazismo "para fins de divulgação" da ideologia. O autor pode ser condenado de dois a cinco anos de reclusão, além de multa.

No dia seguinte (11), a administração do prédio pintou o local onde o símbolo foi desenhado. Na sexta-feira (12), divulgou um comunicado interno onde classificou o ato como "vandalismo", apontando que o autor usou "palavras e símbolos ofensivos que desrespeitam os demais residentes". No mesmo documento, a direção pede que tais ações, quando presenciadas, sejam denunciadas para que as penalizações cabíveis sejam aplicadas.

A reportagem enviou e-mail para administradora do condomínio, mas não houve resposta até o fechamento desta edição.

A Polícia Civil de Bauru, por meio da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic), apurará o caso.

Ler matéria completa

×