Bauru

Polícia

Polícia Rodoviária apreende mais de 100 toneladas de drogas em 2021

O montante recorde é 76% superior à quantia apreendida na mesma área de atendimento da corporação em 2020

por Larissa Bastos

09/01/2022 - 05h00

Larissa Bastos

Major Haroldo Carlos Monteiro salienta que trabalho de combate ao tráfico segue neste ano

O 2.º Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) de Bauru bateu recorde histórico de quantidade de drogas apreendidas em rodovias da cidade e região. Em todo 2021, foram recolhidas 100,567 toneladas de entorpecentes. O montante é 76% superior à quantia apreendida na mesma área de atendimento da corporação em 2020, de 57 toneladas. Na grande região da 1.ª Companhia, de Bauru, foram apreendidas 21 toneladas de narcóticos no mesmo período. Estes números efetivos podem ser considerados uma homenagem ao trabalho da corporação, já que, nesta segunda-feira (10), celebra-se o Dia do Policial Militar Rodoviário, e o Policiamento Rodoviário comemora 74 anos de existência.

O montante apreendido na área do 2.º Batalhão é tão expressivo que representa 65% da quantia apreendida em todo o Estado em 2021, segundo levantamento do próprio Comando de Policiamento Rodoviário (CPRv). Neste período, o órgão contabilizou o recolhimento de 165 toneladas de entorpecentes em todas as rodovias paulistas.

Comandante-interino do 2.º BPRv, o major Heraldo Carlos Monteiro explica que o batalhão atende 185 municípios das grandes regiões de Bauru (1.ª Companhia, com Pelotões em Bauru, Lins e Jaú), Presidente Prudente (2.ª Companhia), Assis (3.ª Companhia) e Araçatuba (4.ª Companhia).

"Nossa área de atuação é próxima da fronteira com o Mato Grosso do Sul, Paraná e com o Paraguai, locais por onde os criminosos usam as rodovias para tentar escoar as drogas para os grandes centros. Então, traçamos estratégias para barrar a passagem desses entorpecentes. E os dados mostram o bom resultado desse trabalho e do treinamento dos profissionais, que contam também com boa integração com outras forças policiais", detalha o major Heraldo Monteiro.

Conforme o JC noticiou, a própria 1.ª Cia da Polícia Rodoviária já notava um aumento no número de apreensões de drogas na região em julho deste ano. Isso porque foi percebido que os traficantes, na tentativa de fugir das fiscalizações, estavam mudando frequentemente as rotas já 'tradicionais' pelas rodovias e usando mais as estradas atendidas pela Companhia. Porém, as alterações foram claramente em vão, considerando a expressiva quantidade de entorpecentes recolhida em 2021, em comparação a períodos anteriores.

GOLPE

A maconha, considerada o 'carro-chefe' do narcotráfico, representa 95% dessas 100 toneladas apreendidas pelo 2.º BPRv. Para se ter uma ideia, segundo a corporação, no Estado de São Paulo, 1 quilo deste entorpecente custa, em média, R$ 1,2 mil. Então, estima-se que, com as capturas do ano passado, foi possível dar um golpe de ao menos R$ 120,6 milhões no tráfico.

Além da maconha, também foram flagradas pouco mais de 4 toneladas de pasta base de cocaína. O restante corresponde a quantias de skunk, crack, heroína, entre outras drogas.

Outras ações

O major Heraldo Carlos Monteiro destaca ainda outras ações significativas do 2.º BPRv além da luta contra o tráfico de drogas nas rodovias, como, por exemplo, o combate à embriaguez no volante, excesso de velocidade, ultrapassagem em locais proibidos, e de crimes como contrabando e descaminho, estes também ligados à proximidade com as fronteiras.

"Para este ano de 2022, nossa expectativa é dar continuidade ao trabalho empreendido em 2021 nas rodovias que atendemos, já que rendeu bons frutos, e ainda buscar opções para melhorar ainda mais nossa efetividade, como recursos tecnológicos. Nossas estratégias sempre serão traçadas para proteger pessoas e salvar vidas. Este é nosso lema", conclui major Monteiro.

Ler matéria completa

×