Bauru

Polícia

Bauru: 2º corpo carbonizado é encontrado em menos de 1 mês

Polícia Civil suspeita que jovem de 20 anos foi assassinado por dívida de drogas

por Larissa Bastos

19/07/2022 - 05h00

Larissa Bastos

Delegado Cledson do Nascimento, da Deic, investiga para identificar e prender os autores do homicídio

Bauru registrou mais um crime bárbaro neste final de semana. Um jovem de 20 anos foi encontrado morto, carbonizado, em uma área de mata, conhecida como Bosque do Fortunato, às margens da rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), a Bauru-Marília, no Fortunato Rocha Lima, na manhã deste domingo (17). Esta é a segunda vez, em menos de um mês, que um corpo é localizado nessas condições na cidade. A Polícia Civil, no entanto, descarta que os homicídios estejam relacionados.

Conforme o JCNET noticiou, Julio Antonio Silvestre Guilherme foi encontrado por volta das 10h, pela própria mãe. A Polícia Militar (PM) foi acionada e fez a preservação do local até a chegada da equipe de perícia técnica. O Corpo de Bombeiros também foi ao endereço para conter as chamas que atingiam a vegetação da área.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Cledson do Nascimento, da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic), a suspeita é que o homicídio tenha sido motivado por uma dívida de drogas.

"Foi apurado que o rapaz seria usuário de entorpecentes e estaria devendo para traficantes que, para a dívida ser sanada, teriam feito com que ele vendesse drogas em uma "biqueira" (ponto de venda de drogas). No entanto, esse rapaz teria sumido com parte dos entorpecentes enquanto 'trabalhava'. Como represália, os traficantes teriam matado ele a pauladas", explica.

Ainda segundo Nascimento, o exame necroscópico apontou que Julio Antonio morreu por traumatismo craniano, provavelmente causado pelos golpes que recebeu na cabeça, e que o corpo foi queimado quando ele já estava sem vida.

"Estamos investigando também se o autor do crime visava ocultar o cadáver e, por isso, ateou fogo nele, fazendo com que as chamas se espalhassem pela mata seca, ou se houve um incêndio na vegetação que atingiu o corpo, que estava ali", detalha.

As apurações continuam a fim de identificar o autor (ou autores) do homicídio, para que sejam presos e responsabilizados.

OUTRO CASO

Por outro lado, Nascimento descarta que o crime deste final de semana tenha relação com o homicídio registrado em 25 de junho último, quando um corpo com sinais de tortura, também totalmente carbonizado, foi encontrado em uma área de mata, de difícil acesso, no Jardim Ouro Verde. Neste caso, conforme o JC noticiou, dois adolescentes, de 17 anos, teriam matado o homem, de 51 anos, porque a vítima teria "mexido" com a irmã de um dos jovens. Os dois autores, que estão apreendidos desde o dia 29 de junho último por ato infracional de homicídio, tentativa de homicídio e ocultação de cadáver, argumentaram ter queimado o corpo visando sua ocultação. "De similaridade entre esses casos, temos a brutalidade com que ocorreram e as pessoas ligadas ao tráfico de drogas", completa Nascimento.

Ler matéria completa

×