Bauru

Polícia

Briga entre amigos na região do Fortunato vira 'banho de sangue'

Segundo a Polícia Civil, desentendimento do grupo resultou em cinco assassinatos e três tentativas de homicídio

por Larissa Bastos

24/07/2022 - 05h00

Malavolta Jr./JC Imagens

Delegado Cledson do Nascimento: há tempos não se via algo assim

Uma briga entre amigos resultou em um 'banho de sangue' na região do Fortunato Rocha Lima, em Bauru. Foram registrados cinco assassinatos, três tentativas de homicídio e várias prisões, nos últimos seis meses, tudo relacionado ao caso. A principal motivação para a 'guerra', segundo a Polícia Civil, seriam publicações nas redes sociais, depois de um estranhamento entre eles. As postagens teriam provocado tanto desconforto que foram interpretadas pelos envolvidos como supostas ameaças veladas, embora fossem inicialmente próximos.

De acordo com o delegado Cledson do Nascimento, da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic), responsável pelas apurações, o desentendimento dividiu os amigos, que atuavam juntos em um ponto de venda de drogas no Fortunato, em dois grupos. Ao menos 14 homens foram relacionados às sucessivas ocorrências, que chegaram à Polícia Civil entre 15 de fevereiro e 22 de abril deste ano (veja quadro abaixo).

A brutalidade entre eles foi tanta que alguns dos investigados, após matar um 'adversário', acabou sendo assassinado como retaliação por um rival antes mesmo de ter sido tirado de circulação pela polícia para responder pelo crime cometido.

Além dos cinco homicídios e três tentativas de assassinato, cinco indivíduos foram presos ou apreendidos (no caso de adolescentes). E o caráter dramático do caso segue: outro homem, que exercia liderança sobre um dos grupos, teria tirado a própria vida enquanto "brincava" de roleta russa na casa de um colega, segundo a polícia.

PRISÃO RECENTE

O último envolvido na briga, um jovem de 18 anos recém-completos, que é acusado de duas tentativas de homicídio contra dois adolescentes e estava foragido, foi preso na última quarta (20), após ser localizado na casa da mãe por equipes da Deic. Quando questionado, ele confessou os crimes, acrescenta o delegado.

De acordo com Cledson, esse suspeito narrou que, no dia 22 de abril, atirou nas costas de um adolescente 'rival' que estava na garupa de uma motocicleta, no Parque Roosevelt, bairro vizinho ao Fortunato. O atingido seguia internado até anteontem no Hospital Estadual e passou por várias cirurgias. Ele corre o risco de ficar paraplégico.

'FECHAVAM JUNTO'

Ainda segundo Nascimento, brigas entre criminosos adversários que resultaram em várias mortes, como a deste ano, já tinham sido registradas em Bauru anteriormente. Ele cita, por exemplo, a desavença 'histórica' entre grupos do bairro Beija-Flor e o confronto entre moradores do Jardim Vitória e Ouro Verde. "Mas, já há muito tempo que não se via em Bauru esse tipo de guerra", ressalta.

No caso deste ano, o que surpreendeu na sucessão de ocorrências na região do Fortunato Rocha Lima foi a futilidade da motivação dos envolvidos. "Os que conversei disseram que eram todos amigos, que, como eles dizem, 'fechavam junto' em um ponto de venda [de drogas] no Fortunato. Mas que, em algum momento, se estranharam. Depois, entendiam algumas postagens nas redes sociais como ameaça velada e atiravam no outro em resposta. E virou uma 'guerra', tudo por motivo bem fútil. Até questionei se era alguma disputa por ponto de tráfico e disseram que não era nada disso. Era desentendimento entre eles mesmo", reitera Nascimento.

Por fim, o delegado ressalta que ao menos os indivíduos diretamente envolvidos na briga, que não foram mortos, estão presos. "A mãe deste adolescente preso hoje (quarta-feira), inclusive, agradeceu (a prisão pela Polícia Civil)", conclui Nascimento.

Já o corpo encontrado carbonizado no bosque do Fortunato, no último domingo (17), não está relacionado ao caso e segue investigado.

Ler matéria completa

×