Bauru e grande região

Política

Alckmin entrega Bauru-Iacanga duplicada e garante o diálogo

Durante solenidade comunidade mais segurança nas marginais da rodovia

por Vinicius Lousada

01/03/2015 - 07h00

Acompanhado do deputado estadual Pedro Tobias (PSDB), do prefeito Rodrigo Agostinho (PMDB) e de seus secretários de Transportes e de Segurança Pública, Duarte Nogueira e Alexandre de Moraes, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) inaugurou, na manhã de ontem, as obras de duplicação da rodovia Bauru-Iacanga (SP-321).

 

O tucano destacou a ampliação da segurança nas pistas, que ganharam marginais no trecho urbano do município, e o desenvolvimento regional que será propiciado pelas intervenções na via, que dá acesso ao aeroporto Moussa Tobias.

 

Durante a solenidade, realizada sobre o viaduto que corta o quilômetro 350 da rodovia, um pequeno grupo de moradores de bairros do entorno da Bauru-Iacanga protestou com cartazes, cobrando soluções para problemas enfrentados pelas comunidades após o término das obras.

 

Um deles refere-se às passarelas construídas sobre as vias expressas e que não contemplam as pistas das marginais. Outro diz respeito ao aumento do fluxo de veículos no Jardim Colina Verde, que passou a absorver todo o tráfego que sai da Vila São Paulo e da Pousada da Esperança rumo ao Centro da cidade.

 

Em janeiro e fevereiro, moradores já haviam protestado na rodovia por conta da morte de garotas de 6 e 7 anos nas proximidades das marginais recém-construídas na Bauru-Iacanga.

 

Durante seu discurso e em entrevista coletiva concedida aos veículos de comunicação, Geraldo Alckmin afirmou que o governo do Estado, por meio do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) e da Secretaria de Logística e Transportes, está à disposição do município para discutir alternativas e soluções para as demandas dos bairros afetados.

 

“O município é responsável pelas marginais. Mas, com certeza, o secretário Nogueira dará toda a atenção e conversará com o prefeito para sabermos quais são as melhores saídas para os problemas. Trabalhamos para compatibilizar o acesso aos bairros e a segurança nas autoestradas. Todas as providências para evitar acidentes serão tomadas”, declarou o governador.

 

Rodrigo Agostinho, por sua vez, confirmou que o Estado está sensível às questões relacionadas à rodovia e lembrou que as marginais sequer estavam previstas na proposta original de duplicação da Bauru-Iacanga.

 

“Elas foram possíveis graças a uma parceria entre o governo, que topou executar essas obras mesmo deixando o projeto mais caro, e o município, que gastou mais de R$ 10 milhões com desapropriações. Assumimos as marginais, já instalamos as lombadas e estamos contratando semáforos de pedestres para torná-las mais seguras”, ponderou o prefeito.

 

A OBRA

 

Os trabalhos de duplicação da rodovia tiveram início em julho de 2013 e abrangeram 11,8 quilômetros, do entroncamento com a Marechal Rondon até a divisa de Bauru com Arealva, no acesso ao aeroporto Moussa Tobias. 

 

A obra custou R$ 91,1 milhões, incluindo a construção de oito viadutos, duas passarelas e 10 quilômetros de marginais. Vencedoras do processo licitatório, as empresas Construcap CCPS Engenharia & Comércio S.A. e Construtora Sanches Tripoloni Ltda.

 

Alckmin entregou também melhorias no trecho de 55,3 quilômetros, entre Arealva e Iacanga. A pista foi recapeada e os acostamentos pavimentados. Houve ainda a implantação de faixas adicionais e de sistema de drenagem.

 

As empresas CGS Construção e Comércio Ltda. e Jaupavi Terraplanagem e Pavimentação Ltda. Executaram os serviços, que receberam investimentos estaduais de R$ 93 milhões.

 

Benefícios

 

O secretário Duarte Nogueira destacou que as obras geraram 1.800 empregos diretos ou indiretos e que foram concluídas sem registros de acidentes com trabalhadores. “Observo também que as intervenções exigiram muito cuidado porque cortaram a rede da Gás Brasiliano e não podíamos comprometer o abastecimento da região”.

 

Pedro Tobias (PSDB), por sua vez, lembrou que com as obras na Bauru-Iacanga e na Bauru-Ipaussu, entregues em janeiro deste ano, praticamente todos os acessos rodoviários à cidade de Bauru já estão duplicados. 

 

O deputado estadual eleito Celso Nascimento (PSC), que tomará posse do cargo no dia 15 de março, também acompanhou a solenidade de entrega dos serviços.

 

Governador quer rigor para os casos de explosões em caixas eletrônicos

 

Durante a passagem por Bauru, na manhã de ontem, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) também foi à nova sede do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), onde descerrou a placa de inauguração do prédio. Ao lado do secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, ele enalteceu os mais recentes índices de criminalidade no Estado de São Paulo e na região de Bauru e defendeu o endurecimento da legislação.

 

O tucano disse ter apresentado ao Congresso Nacional, na semana passada, projeto de lei para ampliar as penas para autores de explosões em caixas de banco. “Temos que mudar a tipificação. Hoje, quem comete esse crime responde da mesma forma que alguém que pula um muro para roubar alguma coisa”.

 

Alckmin contou que, por outro lado, sugeriu à Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a adoção de medidas que inibam os bandidos. “Se quando houver a explosão do caixa, uma tinta for derramada e deixar as notas inutilizáveis, esses crimes vão deixar de acontecer”, explicou.

 

O governador deu o exemplo da lei estadual contra os desmanches, que, segundo ele, tem relação direta com a redução de roubos e furtos de automóveis constatada no Estado de São Paulo. Na região de Bauru, os casos de furtos de veículos, por exemplo, despencaram 13% em janeiro de 2015.

 

“O mesmo ocorre com os latrocínios. Não tivemos nenhum caso na região de Bauru no primeiro mês do ano. Foi zero. Isso ocorre porque a maior parte desses crimes tem ligação com roubos de carros”, pontuou.

 

ÍNDICES

 

Outro dado celebrado pelo governador foi a redução de oito para dois no número de homicídios registrados na região de Bauru em janeiro deste ano em relação ao mesmo mês de 2014.

 

Segundo o secretário Alexandre de Moraes, o Estado de São Paulo é o único do País a alcançar o índice de vítimas de homicídio por cada 100 mil habitantes com apenas uma casa decimal: 9,8%. “Em Bauru, esse índice é ainda menor: de 7,52%”.

 

Por outro lado, Alckmin reclamou da falta de fiscalização das fronteiras. “Caminhões de crack e cocaína atravessam as divisas e só são pegos em São Paulo”, reclamou.

 

COPOM

 

Com investimentos de R$ 14 milhões, o Copom regional de Bauru passará atender as ligações do 190 de 89

municípios de seis regiões administrativas, incluindo Marília, Assis e Ourinhos. Antes, o serviço sediado por aqui tinha capacidade para contemplar apenas as 39 cidades das regiões de Bauru, Jaú e Lins.

 

De acordo com o governador Geraldo Alckmin, os policiais do Copom trabalham com tecnologia de informação moderna que possibilita melhor emprego dos meios e um atendimento mais rápido. O sistema de telefonia impede ainda a sobrecarga de linhas, diminuindo o risco de possíveis falhas técnicas.

 

Secretário de Segurança, Moraes pontuou que esse modelo de serviço, por enquanto, foi implantado apenas na capital do Estado, Campinas, Presidente Prudente e Bauru.

 

Ontem, o prefeito Rodrigo Agostinho (PMDB) confirmou que, em breve, a Defesa Civil do município passará a ter uma base no local, que sediará ainda o controle do sistema de videomonitoramento prometido há anos para a cidade.