Bauru e grande região

Política

Após pressão, chorume custará menos em Bauru

Economia na contratação do serviço será de R$ 1,1 milhão

por Thiago Navarro

08/03/2016 - 07h00

Malavolta Jr.
Com o acúmulo diário em lagoas no aterro, o chorume precisa ser levado a outras localidades

A Emdurb concluiu, na manhã dessa segunda-feira (7), processo licitatório para contratação de serviço de transporte e destinação final do chorume produzido no aterro sanitário de Bauru. No início de janeiro, após denúncia de custo elevado feita pelo JC ao retratar um discurso do líder da oposição, vereador Arildo Lima Jr. (PSDB), a Emdurb cancelou a licitação anterior e abriu novo certame.

Na licitação realizada em dezembro, a empresa Monte Azul Engenharia Ambiental Ltda. foi a única participante e vencedora, com preço de R$ 214,00 por metro cúbico (mil litros) de chorume. Desta vez, cinco empresas enviaram proposta à Emdurb, e a ganhadora do processo licitatório foi a Multilixo Remoções de Lixo S/S Ltda, com preço de R$ 140,00 por metro cúbico de chorume.

O montante contratado é de 12 mil metros cúbicos, mas por se tratar do modelo de registro de preços, um excedente ainda poderia ser contratado. Em janeiro, a estimativa é que a Prefeitura de Bauru gastaria até R$ 3,2 milhões em 2016 somente com a destinação do chorume, levando em conta o ritmo de produção atual. Considerando-se o mesmo parâmetro, a redução de preços apresentada nessa segunda faz com que a expectativa de gasto caia para cerca de R$ 2,1 milhão neste ano, uma economia de R$ 1,1 milhão aos cofres municipais, que desde o ano passado já sentem os reflexos da queda de arrecadação em tributos e nos repasses estaduais e federais – ou seja, qualquer diminuição de despesa é bem-vinda.

O presidente da Emdurb, Nico Mondelli, acredita que a própria publicidade na mídia ajudou a derrubar o preço. “Estamos em um momento em que as empresas estão com uma procura mais baixa por serviços, então mais empresas se interessaram pela licitação. Além disso, a divulgação na imprensa desse novo certame ajudou a atrair interessados”, destaca.

Mais baixo

De acordo com Mondelli, o resultado obtido nessa segunda foi satisfatório, mas a Emdurb acredita que isso não resolve o problema da destinação do chorume. “O preço médio nesta licitação ficou em torno de R$ 170,00 por metro cúbico, ou seja, conseguimos chegar a um patamar melhor do que em dezembro, que era de R$ 220,00 a cotação média. Mas ainda assim acreditamos que seja possível economizar mais com o chorume”, salienta.

Entre as alternativas, estão as novas tecnologias. “Seis empresas já apresentaram propostas de destinação de chorume por novos métodos, seja por biotecnologia, por processos físico-químicos ou evaporação. São propostas que estão em análise na Cetesb, e a gente acredita que até o final do mês ou em abril tenhamos uma resposta. A própria Cetesb também tem interesse em novas soluções, até porque o estado de São Paulo ainda não definiu uma tecnologia nova para destinar o chorume, e o aterro de Bauru, sendo público, pode ser uma área interessante para desenvolver pesquisas”, argumenta. Em última instância, Bauru só deverá se livrar desse custo quando concluir as obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que terá capacidade para tratar o chorume.

Em janeiro, o JC mostrou também que um aterro privado instalado em Piratininga paga R$ 96,00 por metro cúbico de chorume transportado. No aterro bauruense, que é público, a Emdurb pagou entre 2012 e 2015 o valor de R$ 199,00 para a Monte Azul executar o serviço. Desde a metade do ano passado, este preço caiu para R$ 148,00, pela mesma empresa, após questionamentos do JC e da Câmara. Na licitação feita em dezembro, o preço subiu para R$ 214,00, mas o certame foi suspenso e agora em nova licitação a prefeitura vai pagar R$ 140,00 por metro cúbico.

O aterro

Além da destinação do chorume, o aterro sanitário também está no limite da vida útil. Os 4 mil metros quadrados de expansão estão em uso desde o ano passado, mas sem previsão de quanto vai suportar. “Deve receber o lixo por mais um tempo razoável ainda, mas não dá para precisar o tempo exato. Temos outras alternativas, como reconformações, e também estamos trabalhando junto com a Secretaria de Meio Ambiente para viabilizar o projeto do novo aterro, de 50 mil metros quadrados”, comenta Nico Mondelli.

Contudo, os estudos para esta nova área de 50 mil metros quadrados devem se estender ao longo de 2016, e uma licitação para contratar um aterro privado, para ser usado em último caso, também deve ser realizada.

Propostas

Das cinco propostas apresentadas nessa segunda, a mais alta era da Cetric, que pedia R$ 350,00 por metro cúbico. Em seguida, vinha o preço da Monte Azul, de R$ 220,00. A empresa Lara Braidotti Gomes EPP apresentou inicialmente R$ 180,00, e com o andamento do pregão chegou a R$ 130,00, o menor valor, mas foi inabilitada por não apresentar um documento (atestado de responsabilidade técnica – ART).

A empresa Euclides Renato Garbuio Transportes Ltda apresentou proposta de R$ 160,00, declinando em seguida da concorrência. Já a vencedora, a Multilixo, começou com R$ 162,00, reduziu para R$ 140,00 e declinou, mas com a inabilitação da empresa Lara EPP, foi a vencedora do certame.

Na Câmara

A redução do custo do chorume repercutiu na Câmara Municipal. Líder da oposição, Lima Júnior (PSDB) disse que a concorrência em licitações de Bauru só acontece, de fato, depois que denúncias de possíveis irregularidades vêm à tona. “Dessa vez, 7 empresas apresentaram propostas”, pontuou, avisando ainda que ficará de olho na futura disputa para a destinação do lixo doméstico a aterro privado.

Raul Gonçalves Paula (PV) pontuou que os gastos da Emdurb poderiam ser ainda menores, caso fosse utilizado um caminhão próprio para a destinação do chorume a estações de tratamento de esgoto. Líder do governo, Markinho da Diversidade (PMDB) anunciou que a Secretaria do Meio Ambiente recebeu um caminhão da Obras e comprará um tanque para que o poder público execute o serviço de forma direta.

Valor pago por Bauru pela destinação do chorume (por metro cúbico)

De 2012 a junho de 2015 - R$ 199,00

De junho até novembro de 2015 - R$ 148,00

De dezembro a março de 2016 - R$ 214,00

Licitação encerrada nessa segunda (entrará em vigor nos próximos dias) – R$ 140,00