Bauru e grande região

Política

Segurança pública é prioridade de Meira

Mais votado entre os estreantes, o coronel pretende propor leis para a segurança

por Thiago Navarro

06/10/2016 - 07h00

Samantha Ciuffa
Meira informa que também atuará em outras frentes prioritárias 

Ex-comandante geral da Polícia Militar (PM) do Estado de São Paulo, o coronel Benedito Roberto Meira (PSB), 54 anos, quer levar a experiência adquirida durante todo o tempo em que esteve à frente da corporação para a Câmara Municipal. Mais votado entre os seis vereadores que foram eleitos pela primeira vez, com 4.774 votos, Meira teve o segundo melhor desempenho entre todos os candidatos, ficando atrás apenas do reeleito Fábio Manfrinato (PP), que teve 10.254 sufrágios, o recorde da história de Bauru.

Coronel Meira se aposentou da PM no final de 2014, quando deixou o comando estadual, e neste ano disputou sua primeira eleição. “Procurei obter os votos de vários segmentos, não apenas na área em que eu trabalhei. Fiquei surpreso com a votação expressiva, é difícil imaginar logo na primeira eleição conseguir este número”, comenta.

O vereador eleito pretende apresentar projetos na área de segurança pública, sua especialidade. “Uma das propostas é relativa a imóveis abandonados. Este é um problema sério, pois além do risco à saúde coletiva, por conta da dengue e outras doenças, os imóveis abandonados podem se tornar abrigo para a marginalidade. Inclusive há mapeamento de que existe relação com o aumento de crimes em uma determinada área quando há um imóvel abandonado por perto. A intenção é que a legislação dê instrumentos para que a prefeitura fiscalize isso com mais rigor, exigindo que o proprietário faça a retomada do imóvel. Em último caso, poderia até permitir uma demolição, se não houver interesse de resolução por parte do dono”, detalha seu plano.

Ainda nesta área, Meira quer discutir na Câmara mecanismos para evitar a perturbação do sossego. “A PM atende muitos chamados por conta de barulho e som alto. Só que a legislação é fraca neste aspecto. É possível disciplinar isso, definindo o nível de ruído tolerável (em decibéis), e fiscalizando quando houver denúncia ou durante a rotina mesmo, com a aplicação de multas. A prefeitura teria apenas que comprar os aparelhos de medição, e poderia usar a atividade delegada para que a polícia faça a fiscalização. A atividade delegada também pode ser aplicada na questão dos imóveis”, reitera.

“Outra proposta que vamos apresentar é que o Copom possa reunir todos os serviços ligados à urgência do município, não apenas a PM, mas Samu, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, DAE, CPFL e também o GOT (trânsito). Isso otimizaria o deslocamento de viaturas e a integração entre os serviços”, menciona.

Fora do setor da segurança pública, Meira promete atenção especial com a fiscalização do dinheiro público, outra atribuição do vereador. “Nestes próximos três meses, vou estudar a fundo a administração direta e indireta, incluindo DAE, Emdurb, Cohab e Funprev, para saber como funcionam detalhadamente e a situação de cada uma”, finaliza.