Bauru e grande região

Política

Após comandarem País por 20 anos, PSDB e PT buscam novos rumos

Os dois partidos discutiram nesse sábado (13), em Bauru, durante eventos separados, como pretendem chegar nas eleições municipais do ano que vem

por Thiago Navarro

14/04/2019 - 07h00

Fotos: Renan Casal
PSDB escolheu membros para os diretórios Estadual e Nacional e debateu assuntos diversos

A reunião do PT ontem, no Greb, em Bauru, discutiu assuntos nacionais e a atuação da legenda

O Solidariedade teve reunião com filiados da região toda ontem de manhã, em um hotel

O PT e o PSDB foram os dois partidos que por mais tempo conduziram o País desde a redemocratização. Os tucanos ficaram por oito anos, com Fernando Henrique Cardoso, e os petistas outros 13 anos, com Lula e Dilma Rousseff. Com a saída de Dilma para a entrada de Michel Temer (MDB), pela primeira vez ambos ficaram fora do Palácio do Planalto.

A eleição de Jair Bolsonaro (PSL) colocou fim à polarização PT e PSDB, principais adversários em seis eleições presidenciais consecutivas. Em nível municipal, as duas legendas já tiveram bancadas na Câmara, mas atualmente, nenhuma tem vereadores. Em diferentes reuniões na manhã de ontem, os dois partidos discutiram internamente como devem mudar para chegarem novamente fortes já nas eleições do ano que vem, quando haverá disputa a vereador e prefeito.

TUCANOS

O PSDB fez nesse sábado (13) encontro regional no Comfort Hotel, com filiados das regiões de Bauru, Jaú e Lins para a escolha dos membros que vão compor o Diretório Estadual e Nacional. O secretário executivo de Desenvolvimento Regional, Rubens Cury, será o titular da região no Diretório Estadual, e Antonio Aparecido Serra delegado titular no Diretório Nacional, enquanto Fátima Guimarães a suplente do Diretório Nacional.

O presidente do PSDB de Bauru, Arildo Lima Jr., fez uma avaliação do momento do partido no País e no município. "O partido deve ter um trabalho pensando em melhorar a vida das pessoas, especialmente quando está no poder. A finalidade é trabalhar pelo bem comum, estamos passando por um momento de mudanças assim como todo o País, do ponto de vista ideológico e comportamental. Temos de construir propostas construtivas, não apenas de poder, mas de vocação da sociedade. Discutimos também a reestruturação organizacional do partido, em nível estadual, a relação do Diretório Municipal com o Diretório Estadual, e a comunicação com o governo estadual, pois o governador é do nosso partido", cita.

O ex-deputado estadual Pedro Tobias também participou e defendeu a renovação. "Eu dei minha contribuição, e agora os mais jovens devem começar a assumir mais. A última eleição mostrou que as pessoas queriam mudanças, ainda que para pior, pois ainda não sei qual projeto o novo governo federal tem para o País. Agora, sem estar no mandato, vou continuar defendendo a social-democracia e que os mais pobres tenham acesso aos serviços. O governo do Estado anunciou os mutirões da saúde, vou lutar para que faça o mesmo na radioterapia, tem mais de uma centena de pessoas da região na fila de espera", afirma.

PETISTAS

A Caravana da Macrorregional de Bauru do PT foi no Greb, com a presença de filiados de várias cidades da região. O deputado federal Arlindo Chinaglia esteve presente, assim como o ex-deputado federal e atual membro do Diretório Estadual, Jilmar Tatto. Na avaliação de Chinaglia, o PT deve ter uma atuação consistente de oposição ao governo federal. "O processo deve pensar o presente e o futuro. O nosso País tem altíssima concentração de renda, quem mais paga impostos são os pobres, os serviços públicos vão piorar após a Emenda Constitucional do teto dos gastos. Temos de refletir a atuação do partido em nível nacional, estadual e nos municípios. O atual presidente não apresentou medidas efetivas para o desemprego. Ele age como alguém que está ao mesmo tempo dentro e fora do cargo. Ao mesmo tempo que nomeou ministros, já demitiu, mas parece que não lembra que foi ele mesmo quem colocou", afirma.

O parlamentar faz críticas ao governo. "O mesmo na reforma da Previdência, a maior dívida é das grandes empresas, são os que mais sonegam e não são cobradas, esses são os privilegiados. Esse é o debate que deve ser feito. O povo nos colocou na oposição e temos que fazer o papel de fiscalização e cobrar", lembra. Os filiados discutiram ontem o cenário nacional e a organização partidária.

Já o coordenador da macrorregional do PT de Bauru, Luciano Assis, destaca que a legenda pretende voltar a eleger vereadores nas eleições do ano que vem em Bauru e aumentar a participação na região. Nesse sábado (13), estiveram presentes no encontro a ex-vice-prefeita Estela Almagro, e o ex-secretário de Agricultura, Chico Maia.

Solidariedade

Na manhã desse sábado (13), outra reunião regional foi do Solidariedade, no Astron Hotel, com a presença do deputado estadual Alexandre Pereira, presidente estadual da legenda. O Solidariedade faz eleição do Diretório Estadual ainda neste mês, e antes, promoveu os encontros em várias regiões. "O partido está bem organizado e pensando nas eleições do ano que vem quando não haverá mais coligações com a mudança das regras eleitorais. Tivemos a presença de muitos filiados", cita a vereadora Telma Gobbi.