Bauru e grande região

Política

Câmara: PMs farão guarda de prédio

Processo faz parte do novo sistema de vigilância, que prevê também a colocação de câmeras de vídeo e o registro dos frequentadores

por Thiago Navarro

12/05/2019 - 07h00

Malavolta Jr.
Para o presidente da Câmara, José Roberto Segalla, iniciativas aumentarão a segurança

A segurança da Câmara Municipal contará com o reforço de policiais militares, dentro de um plano de modernização do sistema de vigilância do imóvel. A afirmação é do presidente da Câmara, vereador José Roberto Segalla (DEM), que publicou no mês passado uma portaria para disciplinar o acesso do público ao prédio. O próximo passo é a assinatura de um convênio com a Polícia Militar (PM), conhecido como Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho (Dejem), onde o Legislativo vai remunerar policiais de folga para fazer a segurança do prédio e do entorno, como a Praça Dom Pedro II. O esquema de trabalho é bastante parecido com o da atividade delegada, em que a prefeitura contrata policiais para aumentar o efetivo de segurança em pontos específicos.

O estudo para mudanças na segurança da Câmara foi iniciado no começo da atual legislatura, ainda quando o vereador Sandro Bussola (PDT) era o presidente. Na época, o vereador Coronel Meira (PSB) conheceu o funcionamento do Dejem na Câmara de São Paulo. Agora, o procedimento vai ser adotado em Bauru. Os policiais trabalharão fardados, sendo que o número de profissionais deve variar conforme o dia - a previsão é que eles atuem nos dias úteis, quando há funcionamento da Câmara.

Por exemplo, em dias comuns, a tendência é que um efetivo menor trabalhe, como um ou dois policiais apenas. Já em dias de sessões, ou ainda em audiências com grande público, o efetivo pode aumentar. "Essa medida já funciona em outras cidades e vai ajudar na segurança de todos, principalmente da própria população que frequenta a Câmara e também dos servidores, além de ajudar a melhorar o entorno, como a Praça Dom Pedro II. O convênio deve ser formalizado dentro de pouco tempo com o comando da Polícia Militar, já fizemos a pesquisa de preços com empresas privadas, mas fica mais viável financeiramente contratar a polícia com esse convênio", explica Segalla. A colocação de câmeras de vídeo é outra medida que deve ser implementada futuramente, também com o objetivo de aumentar a segurança dos servidores e população que usa o espaço. 

Com mudança na recepção, público é identificado para entrar na Casa

A portaria do presidente José Roberto Segalla (DEM), que está valendo desde o mês passado, já promoveu mudanças no sistema de controle de acesso ao prédio. Os usuários precisam agora informar onde vão, na recepção da Câmara, pela entrada principal - avenida Rodrigues Alves - e fazer um cadastro com o nome, documento de identidade, horário e setor a ser visitado. Um funcionário da Câmara deve, então, realizar o registro de imagem, com foto, e a partir da segunda visita, será necessário apenas um documento para identificá-lo.

Outra novidade é que a pessoa deverá informar o setor em que pretende ir ou gabinete de vereador e um servidor ou assessor buscará a pessoa na recepção. Em dias de sessão ou audiências, o acesso será liberado, sem a necessidade de cadastro, exceto em situações que a Mesa Diretora julgar necessário por medida de segurança. Também está proibida a entrada no prédio da Câmara de animais - salvo deficientes visuais com cães-guia.

O uso do banheiro por pessoas sem ligação direta com a Casa em dias em que não estiverem ocorrendo sessões é permitido, mas um agente de segurança da Câmara a acompanhará até os sanitários, na ida e na volta. O atendimento ao público é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Após às 17h45, um funcionário vai percorrer os gabinetes e demais áreas para verificar se ainda há visitantes e, havendo, avisará que a visita deve ser encerrada. Essas medidas estão valendo desde o mês passado.