Bauru e grande região

Política

Prefeitura está sem acesso a parte dos arquivos eletrônicos desde maio

Uma empresa privada vai tentar fazer a leitura dos discos, pois o problema afetou secretarias, que podem ter perdido aquivos importantes

por Thiago Navarro

09/07/2019 - 07h00

Samantha Ciuffa
O presidente da Câmara, José Roberto Segalla, entende que a prefeitura deve se preocupar mais com a segurança de seus documentos eletrônicos

A Prefeitura de Bauru vai contratar uma empresa terceirizada para tentar recuperar dados do sistema eletrônico e arquivos internos que não conseguem ser acessados desde o final de maio deste ano. A empresa Digital Recovery Tecnologia Ltda - ME, de São Paulo, vai ser contratada por dispensa de licitação, no valor de R$ 200 mil. O contrato deve ser assinado na semana que vem e serão dez dias de prazo a partir da assinatura para o serviço de recuperação dos dados, problema que afetou diversas secretarias municipais. Até por não conseguir acesso aos discos há mais de um mês, não se sabe o número detalhado de arquivos indisponíveis ou perdidos para uso do município.

O sistema antigo de processo eletrônico e arquivos internos foram afetados. Segundo a prefeitura, o sistema eletrônico novo não foi atingido. Já os arquivos internos sem acesso comprometeram principalmente a Secretaria de Obras e Seplan, desde o dia 29 de maio. A reportagem apurou que houve tentativa do governo em fazer a leitura dos discos por conta própria, mas não foi possível, e por isso a empresa será contratada pelo Gabinete do prefeitura, área onde a tecnologia da informação fica subordinada.

Por conta de uma situação específica e da necessidade de ter acesso aos dados, houve a dispensa de licitação, já publicada, no valor de R$ 200 mil, e falta agora a assinatura do contrato. O equipamento que gerenciava os dados era antigo e será substituído por um mais novo. Os dados sem acesso e que precisam de recuperação pela empresa contratada estão em Storage EVA HP.

Segundo a prefeitura, nenhum documento foi perdido, mas o acesso está impossibilitado por conta da falha na leitura dos discos. Não foi detalhado quantos documentos estão inacessíveis. "O equipamento que gerencia os dados era muito antigo, embora os todos os discos se mantiveram íntegros, a máquina não consegue fazer a leitura dos dados. Nenhum arquivo foi perdido, o problema está em conseguir ler os dados", mencionou a prefeitura, em nota ao JC ontem.

No site da Digital Recovery Tecnologia Ltda - ME, com sede em São Paulo e com uma unidade em Goiânia/GO e em Hamburgo, na Alemanha, a empresa afirma que possui tecnologia para trazer dados de volta, está há mais de 20 anos no mercado e já fez serviços a empresas públicas e privadas de todo o País e de fora.

CRÍTICAS

O presidente da Câmara, vereador José Roberto Segalla (DEM), fez críticas no mês passado ao problema, durante sessão da Câmara, e disse que ficou sabendo do problema após pedir informações de um processo e receber a resposta na Seplan da impossibilidade pela falta de acesso ao sistema. "Por que isso está acontecendo? O sistema não presta? Houve sabotagem? Ação de hackers?", questionou Segalla. Ele defendeu na ocasião uma solução ao caso, e disse ainda estar preocupado com a falta de bakcup dos arquivos. Ontem, a assessoria da prefeitura afirmou que o backup dos dados é realizado com frequência.

Pelo fato de ter afetado várias secretarias, principalmente a Obras e a Seplan, pastas com grande volume de arquivos, processos, projetos e documentos, houve dificuldade de moradores que pediram acesso a informações desde o final de maio, por conta da indisponibilidade de leitura dos discos. O fato ainda está atrapalhando o trabalho dos servidores municipais, até que o problema efetivamente esteja resolvido. Como o contrato será assinado na semana que vem, a previsão da prefeitura é recuperar os discos e ter acesso aos dados até o final deste mês, estima.

Meta de digitalização até o ano que vem

O prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD) pediu ao setor de tecnologia da informação da prefeitura a digitalização de todos os processos ainda físicos em até oito meses. Uma empresa será contratada, por licitação, para digitalizar todas as páginas dos processos, gerando mais de 2,3 milhões de imagens, mas ainda não há prazo o começo do contrato.

Esta etapa faz parte de um plano mais amplo do processo administrativo eletrônico.

Atualmente, muitos documentos vão de uma secretaria para outra ainda em papel. Já com o processo eletrônico, seria possível dar andamento de maneira simultânea a um mesmo processo em mais de uma pasta, e ter controle de quem teve acesso e por quanto tempo. Outros procedimentos de modernização na prefeitura vão desde a informatização da rede de saúde, prometida ainda para este ano, com a interligação de todas as unidades, e a instalação de fibra óptica entre prédios municipais. A digitalização completa representa um avanço, mas para isso precisa também da modernização dos sistemas de tecnologia e suporte, e ainda da segurança eletrônica para evitar problemas internos ou interferências de fora nos arquivos.