Bauru e grande região

Política

Vereador questiona licitação do DAE

Coronel Meira solicitou detalhes de metodologia de construção

por Thiago Navarro

04/09/2019 - 06h00

Samantha Ciuffa

Sandro Bussola, Coronel Meira, Roger Barude, Eliseu Areco Neto, Heber Soares Vieira, Eduardo Sanchez, José Roberto Segalla, Carlos Gobbi, Chiara Ranieri, Natalino da Silva e Markinho Souza em reunião

A Comissão de Justiça da Câmara Municipal recebeu, na manhã desta terça-feira (3), o presidente do DAE, Eliseu Areco Neto, e o diretor de Produção e Reservação, Heber Soares Vieira, por conta de questionamentos sobre a metodologia de construção do novo reservatório de água do Jardim Alto Paraíso, na região da Vila Falcão. O parlamentar foi procurado na semana passada por uma empresa de Bauru que fez apontamentos ao edital de licitação aberto pela autarquia.

De acordo com o edital, o reservatório deve ser construído com aço vitrificado, com valor estimado de R$ 3,9 milhões, sendo que poderia custar menos da metade se fosse em concreto armado. O presidente e o diretor do DAE, contudo, afirmaram que o tempo de construção é menor com o aço vitrificado, além de reduzir a necessidade de manutenção e de impermeabilizações.

O reservatório terá capacidade de armazenamento de 3,5 milhões de litros de água, o segundo maior de Bauru - o primeiro é o da Praça Portugal, com capacidade de 5 milhões de litros. Meira pedirá a opinião de profissionais da Assenag a respeito do assunto.

INTERCEPTORES

Ainda na reunião da Comissão de Justiça, Meira pediu informações sobre o projeto de lei encaminhado pelo prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD) para que o Fundo de Tratamento de Esgoto (FTE) seja usado na manutenção de interceptores de esgoto. Areco destacou que o pedido partiu do DAE, uma vez que Bauru tem mais de 100 quilômetros de interceptores, alguns em locais de difícil acesso, e que a autarquia precisa de recursos financeiros para bancar a limpeza e manutenção.

 

Ler matéria completa