Bauru e grande região

Política

Liga fará repasse a escolas de samba

Pela primeira vez, a verba municipal será dividida através da Liesb, enquanto organização e som ficam com a Cultura

por Thiago Navarro

11/01/2020 - 05h15

Samantha Ciuffa

O secretário municipal de Cultura, Rick Ferreira: "Suspensão temporária se faz necessária"

A Liga das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Bauru (Liesb), fundada no final do ano passado, fará o repasse da verba da prefeitura destinada aos blocos e escolas de samba no Carnaval de 2020, com desfiles marcados para os dias 22 e 24 de fevereiro no Sambódromo. Esta será a primeira vez desde a retomada da folia no município, em 2008, que uma entidade vinculada às agremiações terá este papel.

Neste ano, as contratações da empresa que fará a sonorização do Sambódromo, e da empresa para a organização, ainda estarão sob os cuidados da Secretaria de Cultura. A partir de 2021, a ideia é que tudo fique com a Liesb. Em 2020, a Liga deve receber R$ 488 mil da pasta para fazer o pagamento do subsídio das entidades carnavalescas. O valor destinado a cada uma será o mesmo do último Carnaval, sendo R$ 60 mil para escolas e R$ 15 mil para blocos, desde que cumpram o regulamento.

O custo final do Carnaval de 2020 ficará parecido com o dos últimos anos, estima o secretário municipal de Cultura, Rick Ferreira. "O valor deve ser parecido. A diferença é que neste ano a própria Liga vai fazer a divisão da verba entre as entidades, com a prefeitura contratando a sonorização e a organização. Para o ano que vem, pretendemos que eles assumam tudo. A vantagem da Liga é que eles poderão buscar outros meios para arrecadar verba, com leis de incentivo, iniciativa privada, e uso do Sambódromo fora da época de Carnaval. Se isso funcionar, a prefeitura reduzirá bastante o gasto com o Carnaval, pois o valor que é destinado para as escolas poderão vir desses eventos, com a secretaria custeando apenas a estrutura", lembra.

VALORES

Em 2018, o Carnaval custou R$ 603,8 mil, entre contratação de sonorização e organização. Já em 2019, a festa ficou mais cara, indo para R$ 786,4 mil. Estes valores já incluíam o repasse para as agremiações. Neste ano, a prefeitura estima que vai destinar R$ 488 mil para as escolas e blocos. Já a contratação do serviço de som e da organização, desta vez sem incluir o repasse das entidades, estão em fase de licitação, com pregões marcados para o final deste mês, portanto a despesa final ainda não foi fechada, mas ficará em patamares próximos ao da média dos anos anteriores, pontua o secretário.

Entrada gratuita e sem patrocínios

O secretário de Cultura afirma que a folia continuará com entrada gratuita. "Nem a secretaria e nem a nova Liga cogitaram a possibilidade de fazer cobrança de ingressos, até para não descaracterizar a festa, que é a mais popular de Bauru", frisa. Nos últimos dois anos, a prefeitura tentou atrair patrocinadores da iniciativa privada para ajudar a custear o Carnaval, porém não atraiu interessados. "Desta vez, não iremos fazer a busca de patrocinadores. A prefeitura novamente vai custear tudo. Para os próximos anos, com a atuação da Liga, aí sim deve ter a entrada de parceiros privados para custear parte da festa", afirma.

Ler matéria completa