Bauru e grande região

Política

Sinserm vai pedir uma discussão sobre alíquota

Entidade pedirá o estudo sobre o escalonamento, que é outra alternativa prevista na reforma

por Thiago Navarro

14/02/2020 - 05h15

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bauru e Região (Sinserm) vai pedir a ampliação do debate sobre o aumento da alíquota previdenciária dos servidores na Funprev, de 11% para 14%, conforme o JC mostrou ontem. O advogado José Francisco Martins, do Sinserm, diz que a entidade pedirá o estudo sobre o escalonamento, que é outra alternativa prevista na reforma da Previdência, e caso o índice tenha mesmo que ir aos 14%, os funcionários entendem que o assunto deve ser discutido juntamente com a negociação salarial deste ano.

Além da nova alíquota, a definição sobre as verbas permanentes e transitórias, para efeito de incorporação e pagamento aos aposentados, é outro ponto em discussão. O Sinserm também considera que se alíquota subir o governo deve manter a proporção da cota patronal - hoje em 22% - e que, no caso, precisaria ir a 28%, o que não está previsto.

INATIVOS

O presidente da Funprev, Gilson Gimenes Campos, lembra que a nova alíquota - que ainda precisará de aprovação na Câmara - afetará os servidores ativos apenas.

No caso dos inativos, todos que ganham até R$ 6 mil mensais não pagam a contribuição. Já aqueles que recebem acima disso, pagam a alíquota apenas sobre a diferença entre os R$ 6 mil e o salário, o que será mantido, afirma.

 

Ler matéria completa