Bauru e grande região

 
Política

Fase vermelha começa 3.ª com lei seca

A Prefeitura de Bauru vai proibir o consumo de bebida alcoólica em áreas públicas, em todos os dias e horários

por Thiago Navarro e Marcele Tonelli

26/06/2020 - 21h02

Vinicius Bomfim/JC Imagens

Lojas fechadas no Calçadão

O governo estadual regrediu a região de Bauru para a fase vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo. Os 68 municípios da Diretoria Regional de Saúde (DRS-6) terão que reduzir ainda mais a flexibilização da economia a partir da semana que vem. Em Bauru, o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB) vai proibir, em todos os dias, a venda de bebidas alcoólicas das 23h às 5h. Já o consumo desse tipo também ficará vedado em áreas públicas, como ruas, avenidas, praças e parques, em todos os horários e dias da semana.

A prefeitura deve publicar o novo decreto hoje, valendo a partir de terça-feira (30), com previsão inicial de duração por 15 dias. Contudo, como o Estado tem feito avaliações semanais, pode haver flexibilização antes. "A região entrou na fase vermelha por uma diferença pequena, a chance de na próxima avaliação voltar ao laranja é boa", cita Gazzetta.

O prefeito adianta que o consumo de bebidas alcoólicas será punido, inclusive com multa, pois tem gerado aglomerações em diversas regiões. “As pessoas vão poder consumir bebida alcoólica em casa apenas. Mas, em vias públicas, ficará proibido, em todos os dias e horários, para evitar essas aglomerações. Aqueles que descumprirem poderão levar multa”, frisa o prefeito. 

Toda modalidade de venda de bebidas alcoólicas ficará proibida das 23h às 5h, inclusive por delivery, drive thru, ou retirada. Os supermercados poderão funcionar 24 horas por dia, desde que não vendam bebidas alcoólicas no horário em que a comercialização será vedada.

COMÉRCIO

Apesar do Estado determinar o início da fase vermelha na região a partir de segunda-feira (29), a prefeitura colocará o começo das restrições na terça-feira, para que o comércio e serviços se adaptem.

As lojas precisarão fechar, sem atendimento ao público, como ocorreu nos primeiros dois meses da pandemia. Contudo, a entrega de produtos via delivery ou drive thru será permitida. Também é liberada ou a retirada no balcão sem entrada de clientes. O mesmo valerá para bares e restaurantes. “O comércio poderá trabalhar, porém, desde que não tenha a entrada dos consumidores. A entrega de produtos vai ser permitida”, lembra Gazzetta.

Os salões de beleza e barbearias podem atender somente em domicílio. Já as academia devem ficar fechadas, sem atender nem mesmo casos com prescrição médica.

Os serviços essenciais poderão continuar com atendimento normal, desde que respeitadas as normas de segurança, casos de supermercados, farmácias, postos de combustível, oficinas mecânicas, serviços de transporte, bancos, lotéricas, call centers, casas de ração, segurança, comunicação, construção civil, agropecuária e indústria.

Já a situação das igrejas será definida neste sábado (26), com possibilidade de nova determinação de que não realizem celebrações.

Horas após a reclassificação do Estado, Gazzetta se reuniu com 24 municípios da região. Um novo encontro acontecerá hoje, também por videoconferência, para que todos possam publicar as novas normas. 

Nova classificação

Na coletiva em que Bauru foi reclassificada para a fase vermelha, o secretário do Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, ressaltou que o salto de casos foi o que resultou no retrocesso. “Nenhuma região regrediu por conta da capacidade hospitalar. O que impactou foi a evolução de casos”, afirmou.

Além de Bauru, também recuaram para a zona vermelha do Plano São Paulo, ontem, as regiões de Araçatuba, Sorocaba, Franca e Piracicaba. Também se mantiveram na fase 1 Presidente Prudente, Marília, Ribeirão Preto e Registro.

Ler matéria completa