Bauru e grande região

 
Política

Bauru pode ter recorde de candidatos a prefeito nestas eleições municipais

Desde a redemocratização, todas as disputas tiveram até oito concorrentes; desta vez, deve ficar entre nove e 12

por Thiago Navarro

13/09/2020 - 05h00

JuRehder

Candidatos em Bauru

A eleição para prefeito neste ano em Bauru pode ter um recorde de candidatos, ao menos desde a redemocratização, quando o sistema atual foi implementado. Desde 1988, o maior número foi registrado em 2004, com oito postulantes. O menor foi em 2012, com apenas quatro. Em 2020, já são cinco nomes confirmados em convenções e, neste domingo (13), mais três a quatro devem ser oficializados. Amanhã (14) e na terça-feira (15) é possível que mais três concorrentes sejam definidos.

Com isso, a disputa neste ano deve ficar entre nove e 12 candidatos a prefeito em Bauru. Considerando que, dos 33 partidos do País, 26 possuem representação em Bauru, perto de metade deles pode ter postulante próprio. Além de refletir a pulverização de legendas, a proibição de coligação para a eleição a vereador motivou mais partidos a investirem em candidatos próprios na chapa majoritária, a prefeito e vice, como forma de aumentar a presença nas eleições e buscando fazer ao menos uma cadeira na Câmara Municipal.

Neste ano, a tendência é de mais candidatos a vereador também. Em 2016, foram 310 concorrentes para a Câmara e, agora, pode ficar acima de 400, por conta do fim das coligações na eleição proporcional.

SOZINHOS

Dos cinco candidatos que já foram referendados nas convenções, três vão com chapa pura, ou seja, sem coligação. São os casos de Sérgio Alba (Solidariedade), Nelson Ribeiro da Silva, o Fio (PTC), e Suéllen Rosim (Patriota). Hoje, o PSOL também pretende definir um nome próprio e sem coligações.

Restam ainda definições para amanhã, quando ocorrem as convenções do PSD e do PSB. No primeiro, o pré-candidato é Sandro Bussola, enquanto o PSB coloca o nome de Rosana Polatto como possível postulante. Os dois partidos, contudo, ainda podem fechar parcerias.

Já na terça, o Republicanos quer confirmar o nome de Edu Avallone, ainda sem definição se haverá parceria com outra legenda. No mesmo dia, o Pros também terá convenção e tenta viabilizar Antônio Izzo Filho, mas ainda pode formar aliança com o Republicanos. Izzo não consta como filiado do Pros no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), contudo, o partido alega que ele assinou a filiação dentro do prazo.

ACOMPANHADOS

Apesar da pulverização de candidatos a prefeito, alguns partidos conseguiram formar alianças e, assim, deverão dominar o horário eleitoral no rádio e na TV. O atual prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB), que busca a reeleição e fez convenção ontem, tem como aliados o PTB do vice-prefeito Toninho Gimenez, e ainda o PL e o PCdoB. Outra chapa já confirmada com mais de um partido é a de José Clemente Rezende (Cidadania), que conta com o PDT e o Avante.

O DEM vai lançar hoje o nome de Raul Gonçalves Paula, tendo como parceiros o PP, que indicou o vice Fábio Manfrinato, e ainda o PSL, PRTB e MDB. Será a coligação com o maior tempo de propaganda no rádio e na TV.

Ainda neste domingo, o PT vai confirmar Jorge Moura, em parceria com o Rede, que está indicando Maria Flor Di Piero como vice. Esta é outra aliança que terá um tempo significativo no horário eleitoral, pois o PT tem a maior bancada da Câmara dos Deputados, critério usado para esta distribuição. Por fim, Luiz Carlos Valle (Podemos) será oficializado também hoje como candidato a prefeito, com Gislaine Magrini (PSC) de vice.

Histórico das disputas

Em 1988, seis nomes concorreram à Prefeitura de Bauru, com Izzo Filho sendo eleito. Já em 1992, foram cinco postulantes e Tidei de Lima venceu a disputa. Em 1996, foram sete concorrentes, com Izzo vencendo, sendo que ele acabou cassado durante o mandato. O vice Nilson Costa assumiu a prefeitura e conquistou a reeleição em 2000, que teve sete candidatos, na primeira disputa municipal em Bauru com uso da urna eletrônica.

Em 2004, Bauru teve segundo turno pela primeira vez, pois ultrapassou a marca de 200 mil eleitores. O pleito teve o maior número de candidatos, com oito. Tuga Angerami e Caio Coube foram ao segundo turno, com vitória de Tuga.

Já em 2008, foram seis concorrentes, com Caio Coube e Rodrigo Agostinho avançando ao segundo turno. Rodrigo acabou vencendo, na única vez em que um candidato que estava em segundo lugar no primeiro turno conseguiu a "virada".

Nas disputas mais recentes, Rodrigo Agostinho foi reeleito ainda no primeiro turno em 2012, quando apenas quatro candidatos concorreram. Ele obteve 82% dos votos válidos, recorde até hoje no município. Por fim, em 2016, seis candidatos disputaram, com Clodoaldo Gazzetta e Raul Gonçalves Paula fazendo o segundo turno, que terminou com Gazzetta eleito.

 

Em 2020

Já confirmados nas convenções

Sérgio Alba (SD)

José Clemente Rezende (Cidadania)

Nelson Fio (PTC)

Suéllen Rosim (Patriota)

Clodoaldo Gazzetta (PSDB)

Raul Gonçalves Paula (DEM)

Jorge Moura (PT)

Renata Ribeiro (PSOL)

Luiz Carlos Valle (Podemos)

Nomes que ainda passarão por convenções

Sandro Bussola (PSD)

Rosana Polatto (PSB)

Edu Avallone (Republicanos)

Ler matéria completa