Bauru e grande região

 
Política

Secretarias vão perder verba em 2021

Corte médio no Orçamento será de 5% sobre a projeção inicial deste ano, com redução em pelo menos nove pastas

por Thiago Navarro

15/09/2020 - 05h00

Fachada da Prefeitura Municipal de Bauru. 15/12/2016

A Prefeitura de Bauru projeta uma perda de aproximadamente 5% na receita em 2021, na comparação com a estimativa deste ano. Em 2020 houve contingenciamento, mas os dados só serão totalizados após o encerramento do ano, o que pode amenizar a diferença entre o fechamento real de 2020 com o estimado para 2021. Ainda assim, o prefeito eleito em novembro terá que adotar medidas de contenção já no começo do novo governo municipal, com pouca margem para investimentos.

Secretarias com Orçamento menor estão entre as mais afetadas, casos da Semel, Cultura e Jurídico. Também devem perder recursos o Gabinete do prefeito, Educação, Finanças, Seplan e Sagra, além da Saúde, que terá uma perda pequena. Já na Administração, Sebes, Semma, Sear e Desenvolvimento Econômico, estão previstos aumentos, ainda que reduzidos.

Apenas na prefeitura, ou seja, sem considerar a administração indireta, a estimativa para 2020 era de uma receita de pouco mais de R$ 1 bilhão. Contudo, por causa da pandemia, o valor deve ser cortado em mais de 10,5%, ficando abaixo de R$ 900 milhões. Já em 2021, a previsão é de R$ 951,2 milhões, considerando recursos próprios e repasses estaduais e federais. As despesas já incluem o duodécimo da Câmara, de R$ 21,6 milhões. Ao considerar apenas recursos próprios, a prefeitura tinha previsto R$ 782,2 milhões neste ano, e estima R$ 743,1 milhões no ano que vem.

INDIRETA

A administração indireta também terá redução na previsão do Orçamento. Na Emdurb, a estimativa inicial era de R$ 69,1 milhões neste ano, e há necessidade de cortes de mais de R$ 5 milhões. No ano que vem, a previsão é de R$ 67,2 milhões. No Departamento de Água e Esgoto (DAE), a receita prevista em 2020 é de R$ 168,9 milhões, mas deve fechar em R$ 155,8 milhões.

Em 2021, a receita da autarquia é estimada em R$ 159,8 milhões. Ainda assim, o DAE projeta investimentos de mais de R$ 28 milhões, entre eles a perfuração de um poço, reservatório, projeto de ampliação da ETE Candeia, ampliação da rede coletora de esgoto e setorização.

Na Funprev, a receita deve cair de R$ 198,6 milhões neste ano para R$ 192,3 milhões no ano que vem. No total, somando administração direta e indireta, o Orçamento de 2021 deve ter mais de R$ 1,3 bilhão, boa parte já comprometido com receitas obrigatórias.

Ler matéria completa