Bauru e grande região

 
Política

Boulos negocia com Lula e Covas tem apoio de Russomanno

Os dois candidatos à prefeitura da capital do Estado paulista avançam em apoios

18/11/2020 - 05h00

Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Boulos disse que anunciará nesta quarta (18) outros nomes do que chama de frente de apoio à sua eleição

São Paulo - Com o PT de Lula selando a adesão a Guilherme Boulos (PSOL) e o Republicanos de Celso Russomanno embarcando na campanha do prefeito Bruno Covas (PSDB), os dois candidatos do segundo turno avançaram, nesta terça-feira (17), na consolidação de apoios na disputa pela Prefeitura de São Paulo.

Boulos disse que anunciará nesta quarta (18) outros nomes do que chama de frente de apoio à sua eleição, em uma estratégia para diluir o peso individual dos entusiastas.

O discurso do PSOL é o de que nenhum terá protagonismo nessa rede nem será mais importante do que o candidato em si, o que neutralizaria eventuais críticas pela associação a Lula. A campanha do PSDB já utiliza essa relação para tentar desgastar Boulos. Já Covas, vem conquistando terreno entre candidatos de direita críticos da sua gestão, que veem o apoio ao PSDB como uma forma de estancar o avanço do PSOL. "Andrea Matarazzo (PSD) decidiu que irá votar em Covas, enquanto Joice Hasselmann (PSL) abriu conversas com os tucanos".

O Republicanos e o PSDB entraram em acordo nesta terça para que o partido apoie Covas --aliança endossada pelo presidente nacional da legenda, o deputado federal Marcos Pereira, e pelo candidato derrotado Russomanno, que assinaram a nota de apoio. "O partido entende que a moderação e o equilíbrio são fundamentais para que a cidade possa avançar e que Bruno Covas é a pessoa mais preparada para isso", diz o texto. O apoio Republicanos aos tucanos estava praticamente acertado - os partidos estão juntos na gestão João Doria (PSDB) no governo estadual e estiveram unidos na administração de Covas até agosto.

PT com Lula

O apoio do PT a Boulos, manifestado pelo candidato derrotado Jilmar Tatto ainda na noite de domingo (15) e formalizado pelo PT municipal em nota na segunda-feira (16), foi anunciado após uma reunião de dirigentes petistas e psolistas nesta terça, com a presença de Boulos e Tatto.

O dia marcou ainda a entrada do ex-presidente Lula na campanha.

"Todos os eleitores e eleitoras que votam no PT, todos os eleitores que são de esquerda, todos os eleitores progressistas, todos que querem restabelecer a democracia no Brasil, têm agora o compromisso histórico de votar no companheiro Guilherme Boulos para prefeito de São Paulo", escreveu no Twitter.

Como uma vacina para a associação ao PT e para o eventual protagonismo do partido de Lula em sua campanha, Boulos tenta atrair outros nomes e legendas da esquerda. Até agora, a coalizão inclui PT, PC do B, PCB e UP. O candidato do PSOL planeja fazer nesta quarta o anúncio do arco de alianças.

FRANÇA INDECISO

O partido do ex-presidenciável, que compôs a coligação de Márcio França (PSB) com a vaga de vice, decidiu declarar apoio ao PSOL, mas ainda tenta convencer o ex-governador a fazer o mesmo. Ciro já indicou querer endossar Boulos, mas só deve confirmar a adesão depois desta quinta-feira (19).

PTB

O presidente do PTB paulista, Campos Machado, anunciou nesta terça-feira (17) que irá apoiar Bruno Covas. O anúncio acontece após reunião de Machado com o candidato a vice-prefeito derrotado no primeiro turno Marcos da Costa (PTB) - que compôs chapa com Celso Russomanno (Republicanos) -, bem como a chapa de candidatos a vereador, lideranças partidárias e de movimentos ligados ao deputado. Apoiar Covas "é obrigação de todos os cidadãos de bem e de quem não quer ver São Paulo transformar-se em um verdadeiro caos", disse Campos Machado.

Ler matéria completa