Bauru e grande região

Política

Mesa Diretora quer revitalizar prédio e aproximar a população da Câmara

Presidência da Câmara Municipal no biênio 2021-2022 também fala em reposição do quadro de servidores da Casa

por Marcele Tonelli

19/01/2021 - 05h00

Samantha Ciuffa

Markinho Souza, Ricardo Cabelo e Pastor Bira estiveram no JC para falar sobre as diretrizes

Eleita para o biênio 2021-2022, a nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Bauru aponta como prioridades a manutenção e recuperação do prédio da Casa de Leis e uma maior aproximação da população com as ações do Legislativo. A reposição do quadro de servidores aposentados ao longo dos últimos anos também foi colocada como diretriz pela nova gestão.

Na última legislatura, a Câmara devolveu aos cofres da prefeitura cerca de R$ 12,6 milhões do duodécimo, sendo mais de R$ 8 milhões somente entre 2019 e 2020.

A nova Mesa Diretora ressalta a importância nas economias já realizadas por outras gestões, mas defende que chegou o momento de cuidar e investir na própria estrutura. "A Câmara precisa voltar a ser a Casa do Povo. Ela não tem mais uma boa estrutura para acolher a população. A Sala do Cidadão é minúscula. E a antiga, que era maior, virou depósito. Faltam funcionários e os equipamentos de trabalho dos servidores estão ultrapassados", destaca Ricardo Cabelo (Republicanos), presidente da Câmara.

A nova gestão, inclusive, pretende elaborar uma espécie de dossiê sobre todos os problemas físicos e estruturais que o Legislativo apresenta hoje, apontando as decisões para solucioná-los. "A ideia é prestar contas de tudo o que será investido, ser o mais transparente possível", completa o vice-presidente da Casa, Markinho Souza (PSDB).

Até hoje, por exemplo, a Câmara não possui Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Com a revitalização, os parlamentares esperam tornar o ambiente mais seguro e agradável. "Isso também é valorizar o que é do município. Se você tem uma torneira pingando na sua casa, você guarda o dinheiro ou você conserta? Claro que consertar é o caminho, porque (não fazê-lo) traz prejuízos, além de tudo", pondera primeiro secretário da Mesa, Pastor Bira (Podemos).

FALTA DE PESSOAL

Além da pintura do prédio e adequações em alguns ambientes, a presidência cita a falta de motoristas, o que gerou a dependência de equipes da prefeitura para a entrega de documentos entre os poderes.

Desde 2016, 11 funcionários se aposentaram, sem que houvesse reposição nos postos de trabalho. A ideia é contratar empresa terceirizada para posterior realização de concursos públicos para as vagas que precisam ser preenchidas. Ricardo Cabelo ressalta, contudo, que tomará decisões de maneira coletiva, junto aos demais membros da Mesa Diretora, formada também pelo segundo secretário, pastor Edson Miguel (Republicanos).

Atualmente, a Câmara conta com 17 vereadores e 89 funcionários que atuam nas seguintes diretorias: Administrativa, Apoio Legislativo, Comunicação, Finanças e Recursos Humanos, além da Controladoria Interna, gabinetes e Presidência.

Mudança de horário das sessões

Como tentativa de reaproximar a população da Câmara Municipal, Ricardo Cabelo estuda a mudança de horário das sessões ordinárias para início após as 18h. Até 2019, os encontros semanais, às segundas-feiras, ocorriam a partir das 14h. De 2020 em diante, passaram para as 13h, com o objetivo de evitar despesas com horas extras.

Segundo Cabelo, a possibilidade é aventada porque a maioria dos funcionários que, hoje, atuam nas sessões seriam de cargos comissionados e, portanto, não recebem horas extras.

O assunto, contudo, ainda será discutido entre os parlamentares. 

Ler matéria completa