Bauru e grande região

Política

Inspeções em viadutos são alteradas e Obras não vê risco no Nicola Avallone

Novo secretário quer 'personalizar' vistorias em dispositivos considerados problemáticos e também focar em limpeza

por Marcele Tonelli

20/01/2021 - 05h00

Fotos: Malavolta Jr.

O Viaduto JK é um dos que terão mais atenção da nova gestão por ser considerado problemático

Com a promessa de um olhar mais clínico sobre os viadutos, o novo secretário de Obras de Bauru, Marcos Saraiva, pretende otimizar os processos de inspeções, tornando as vistorias técnicas mais personalizadas para a necessidade de cada dispositivo. Ainda dentro desse tema, ele afirma que o Viaduto Nicola Avallone, que liga a Vila Falcão ao Bela Vista, não oferece riscos.

Hoje, os viadutos considerados problemáticos passam por vários testes a cada seis meses e os demais a cada dois anos. A ideia, segundo o secretário, é elencar, dentro das normas técnicas previstas, quais as avaliações fundamentais para cada dispositivo e apostar também em ações de limpeza e até corte de vegetação desses locais. 

O assunto, inclusive, é pauta de uma reunião entre o secretário, engenheiros e técnicos da Obras, nesta sexta-feira (22). No encontro, o diagnóstico atual dos viadutos será debatido e um plano de ação, construído.

"Hoje, existe uma inspeção generalizada dos viadutos e iremos discutir o que realmente precisa ser feito em cada um. Não deixaremos de fazer nenhum teste que seja necessário. O intuito não é reduzir, é otimizar", diz Marcos Saraiva. "O Viaduto 23 de maio (da av. Duque de Caxias sobre a av. Nações Unidas), por exemplo, não tem problema. Então, ele não precisaria de investigação, mas de manutenção preventiva, neste momento", completa.

A Obras apostará ainda em ações de limpeza e retirada de vegetação das juntas de dilatação dos viadutos.

EXPERIÊNCIA

Engenheiro civil, Saraiva trabalhou por anos em uma grande construtora do País e foi um dos responsáveis pela entrega da ponte de 3,2 quilômetros sobre o Rio Negro, em Manaus, que está entre as quatro maiores do Brasil.

"Vamos cumprir todas as normas com olho mais clínico e ver exatamente o que precisa para a solução definitiva. Porque o que fizeram, até agora, foi colocar uma estrutura de eucalipto no Viaduto da 13 de maio (João Simonetti), um dos problemáticos, para estabilizar a movimentação dele", compara.

Hoje, além do próprio João Simonetti, os viadutos considerados "problemáticos" em Bauru são o Juscelino Kubitschek (prolongamento da rua Olavo Bilac) e o Antônio Eufrásio de Toledo (prolongamento da av. Duque de Caxias). Além disso, há a ponte sobre o Rio Bauru, no cruzamento da rua Alto Purus com a av. Nuno de Assis, que está com estrutura de aço aparente.

FALCÃO-BELA VISTA

No final de dezembro, o Viaduto Nicola Avallone acendeu alerta, após perda de terra um dos blocos às margem do rio. Nesta terça (19), Saraiva informou que o problema não tem relação com a estrutura e que não há alteração do pilar. "Era apenas uma laje de contenção de água para proteção e que nem existe no projeto estrutural. Não há necessidade de obra, talvez, apenas um reparo simples", cita.

A pasta garante ainda que, hoje, nenhum viaduto precisa de interdição. "Todos estão estáveis e sem riscos para a população. Há apenas necessidade de reparos", reforça Saraiva.

Ler matéria completa