Bauru

Política

Orlando quer deixar a presidência da Fersb e nova diretora já foi escolhida

Decisão ocorre uma semana após Claudia Sgavioli deixar gestão e Eliane Colelte ser apresentada como substituta na Fundação

por Tânia Morbi

16/07/2021 - 05h00

Malavolta Jr.

Orlando Costa Dias, secretário municipal de Saúde e presidente da Fundação de Saúde

Após ocupar, por pouco mais de seis meses, a presidência do Conselho Curador da Fundação Estatal Regional de Saúde da Região de Bauru (Fersb), período em que enfrentou umas das piores crises da Saúde no município, que levou as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) a uma crise, especialmente pela falta de médicos nos plantões, o vice-prefeito e secretário de Saúde, Orlando Costa Dias, manifestou o desejo de deixar seu posto na Fundação. A manifestação ocorre cerca de uma semana após o anúncio da saída de Claudia Sgavioli na Fersb e Eliane Colelte manifestar interesse em assumir.

A posição de Orlando no Conselho, que possui outros 16 membros, é definida pelo Regimento Interno, que estabelece que a presidência será ocupada pelo secretário municipal da cidade com maior índice demográfico.

Porém, a impossibilidade de tomar decisões diretas em relação à Fundação, em sua opinião, torna desinteressante o cargo que ocupa. "Não acho interessante eu ter um cargo que seja honorífico. Não é um cargo que você fale que eu vou lá e vou decidir alguma coisa, por que não tenho uma gestão da Fersb", justificou.

De acordo com o Estatuto da Fundação, entre outras prerrogativas, compete ao Conselho Curador aprovar a proposta orçamentária e exercer a fiscalização e controle dos atos da diretoria executiva. Compõem a Fundação as cidades de Lucianópolis, Macatuba, Pederneiras, Agudos e Bauru, e destas a Fersb tem contrato apenas com Pederneiras e Bauru, com quem mantém cerca de 80% dos seus contratos fechados.

Apesar de manter cautela ao tratar de ajustes e adequações que podem melhorar o funcionamento da Fundação, o secretário aponta duas situações. Na primeira, a situação em que município e Fersb façam um encontro de contas mensalmente, para que o dinheiro pago à fundação e que não seja utilizado, como ocorreu com os plantões médicos não executados, seja devolvido imediatamente e não apenas no final do contrato.

Em outra situação, Orlando critica a demora em que o município tratou das renovações de contratos de gestão das UPAs. No caso das unidades Ipiranga e Bela Vista, o contrato venceu em 30 de junho e só foi renovado recentemente.

Município e Fersb mantêm convênios individuais para cada unidade, com a prestação de mão de obra de médicos e equipe de enfermagem.

No caso da UPA Geisel (o convênio vence apenas em abril de 2022, já com a unidade PAC Covid), Orlando confirmou que a prefeitura vai prorrogar por mais 30 dias para realizar um chamamento público e selecionar uma nova entidade gestora.

Justamente por possuir vários contratos com a Prefeitura de Bauru, apesar da intenção da prefeita Suéllen Rosim de passar a gestão das unidades de saúde para Organizações Sociais, o secretário não acredita que essa mudança afetará a manutenção da existência da Fersb.

Para Orlando, o momento vivido pela Saúde em todo país, devido à pandemia, refletiu na prestação dos serviços da Fersb. O adoecimento de profissionais, a concorrência entre as cidades pelos médicos disponíveis, além do expressivo aumento no número de atendimentos, afetaram a instituição. "A Fersb vinha bem até setembro ou outubro do ano passado, a partir daí começou a ter falta de empresas de médicos que ficam responsáveis pelos plantões a cada mês, começou a haver falhas nas escalas, o que criou problemas. Se você tem um parente ou procura uma unidade e nela tem menos médicos atendendo do que deveria, isso cria fila, gera animosidade para a pessoa que está sendo atendida", avaliou. Mas não confirmou que o momento de crise tenha levado à troca da gestão executiva. Com a saída de Cláudia Sgavioli, deverá assumir Eliane Colelte, que já ocupou função de direção na área de regulação de vagas para exames, consultas e cirurgias na Diretoria Regional de Saúde (DRS-6). A nova diretora foi apresentada oficialmente na semana passada, de acordo com o secretário.

Ler matéria completa