Bauru

Política

Saúde domina pedidos dos municípios em audiência do orçamento estadual

Suéllen Rosim também apresentou demandas na área da Saúde, entre outras solicitações durante encontro regional

por Tânia Morbi

11/09/2021 - 05h00

Aceituno Jr

Audiência do orçamento do Estado reuniu representantes de 23 municípios da região, na Câmara Municipal de Bauru

Dos 24 municípios que participaram da audiência pública que reuniu sugestões e demandas para o orçamento do Governo do Estado, em 2022, realizada na Câmara Municipal de Bauru, nesta sexta-feira (10), as principais reivindicações dos prefeitos e vereadores presentes foram voltadas para a Saúde. O evento foi promovido pela Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento (CFOP), da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). Em segundo lugar no ranking de reivindicações ficaram investimentos em infraestrutura.

A audiência foi presidida pelo vice-presidente da CFOP, deputado estadual Dirceu Dalben (PL), tendo ainda na mesa dos trabalhos os deputados Gilmaci Santos (Republicanos), que é presidente da Comissão, e Ênio Tato (PT). Além dos representantes da região, participaram vereadores de Bauru, que também fizeram suas reivindicações, inclusive o presidente da Câmara, Markinho Souza (PSDB). A deputada Márcia Lira (PT) também esteve na audiência.

A prefeita Suéllen Rosim (Patriota) participou da abertura e sua reivindicação principal foi a abertura definitiva e plena do Hospital das Clínicas da USP. "Para que o nosso povo tenha o atendimento, depois de tanto tempo esperando por cirurgia, por um leito. É um apelo que fazemos. E tenho certeza que este pedido será atendido, porque não é pela prefeita, nem pelos vereadores, mas pela cidade de Bauru e de todas as cidades da região. A abertura do hospital das clínicas é a nossa maior necessidade. Seria um presente para nós e para as cidades da região", afirmou.

Além do pedido pela abertura do HC, a prefeita também protocolou pedido de duplicação dos seis quilômetros da vicinal SPA 354/294 (avenida Elias Maluf), que corta as vilas Industrial e Dutra e está sob a responsabilidade do Departamento de Estradas e Rodagem (DER). E pediu também o aumento da oferta de consultas e exames nos hospitais e ambulatórios de especialidade, além da ampliação do custeio da rede básica de saúde de Bauru.

Ao todo, 12 representantes dos municípios participantes reivindicaram por algum tipo de investimento na área da Saúde. Além da abertura do HC de Bauru, a ampliação das unidades dos Ambulatórios Médicos de Especialidades, mais investimentos em cirurgias, exames e nas Santas Casas, melhorias no Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) foram algumas das propostas.

Ao final da audiência, o presidente da Comissão de Finanças da Alesp, deputado Gilmaci Santos (Republicanos), destacou que o que todos esperam como resultado da audiência é o dinheiro chegar na conta para resolver os problemas da Saúde, das vicinais, na Educação e do Esporte. O deputado lembrou que a estimativa do orçamento do Estado para 2022 deve ser superior a R$ 260 bilhões. "Tem que se aplicar bem e quem sabe as necessidades são os senhores", se referindo aos prefeitos.

Já o deputado Ênio Tato (PT) também mencionou a capacidade orçamentária do Estado e lamentou os problemas não resolvidos. "Tem muito dinheiro no Govenro do Estado, mas vemos que algumas cobranças vêm desde 2006, desde a primeira audiência pública, então a gente faz a pergunta: por que tem tantos problemas que poderiam ser resolvidos e não são? Ao mesmo tempo, a gente pensa que é porque toda eleição muda de partido, e um eleito não dá sequência às obras do outro. Mas aqui faz 30 anos no Estado de São Paulo que o mesmo partido governa e com essa dinheirama toda". Como exemplo, citou o pedido de abertura do HC de Bauru.

Dalben antecipa que Estado deve financiar exames e cirurgias

Aceituno Jr

Deputado estadual Dirceu Dalben presidiu a sessão de ontem

Após a audiência, em entrevista ao Jornal da Cidade/JCNET, o deputado Dirceu Dalben (PL) afirmou o Governo do Estado já estuda a liberação de recursos para a realização de exames e cirurgias, desde que as cidades ou regionais tenham estrutura para realização. "Tenho ouvido do Governo do Estado e do secretário de Saúde que temos que virar a chave do Covid-19. Graças ao Butantan, graças às vacinas, está sendo equilibrada a questão da doença e agora temos que atender o que ficou paralisado por conta do Covid-19, que são as cirurgias, os exames e tratamentos. Para isso, o governo está disponibilizando recursos para contratar exames e cirurgias, desde que tenha estrutura", afirmou. Uma das formas de organização para receber os recursos é a adequação entre as cidades e as Diretorias Regionais de Saúde, como no caso da região de Bauru, a DRS-6. "O que falta é o entendimento entre a Secretaria de Saúde do Estado, as DRS e as prefeituras para ver o que tem de demanda reprimida e o que tem de exames disponíveis para ser contratados, que o governo vai se empenhar para contratar e nós na Alesp suplementar, se for necessário", garantiu.

Sobre as alterações na Lei do Cerrado, uma das pautas que em sendo acompanhada pelo deputado, Dirceu Dalben garantiu que há possibilidade de revisão. "Estou aguardando o fim de um estudo técnico para voltar a tratar com o vice-governador, Rodrigo Garcia, e o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, sobre possibilidade de alteração na legislação que trata da preservação do cerrado, a chamada Lei do Cerrado. "Existe possibilidade sim de a gente resolver este impasse. O Governo do Estado e a Alesp vão se empenhar para encontrar uma solução", afirmou.

Ler matéria completa

×