Bauru

Política

Prefeitura espera melhorar a zeladoria da cidade com a volta dos reeducandos

Diariamente, vereadores e população apresentam várias indicações de serviços e criticam qualidade da manutenção

por Tânia Morbi

18/11/2021 - 05h00

Com o início do trabalho de 75 reeducandos, previsto para a semana que vem, a Secretaria de Administrações Regionais (Sear), da Prefeitura de Bauru, espera colocar em dia o serviço de zeladoria da cidade, mote de campanha da prefeita Suéllen Rosim (Patriota) e objetivo de governo declarado por ela para os próximos anos, mas que, na realidade, tem sido fonte de muita reclamação por parte da população e cobrança de vereadores. Além dos reeducandos, está em andamento a contratação de uma empresa para capinar 6 milhões de metros quadrados de áreas públicas.

A prefeitura tem convênios com o Governo do Estado que possibilitam a contratação de até 150 reeducandos, 50 em cada unidade prisional do município que possua regime semiaberto. Mas, de acordo com o secretário Jorge Luís de Souza, inicialmente apenas 75 atuarão nos serviços ligados à zeladoria, como capinação, varrição de ruas e avenidas. "Realmente, temos carência de mão de obra e, por isso, durante a pandemia, os reeducandos fizeram muita falta", disse.

A qualidade do serviço tem sido alvo de críticas da população, refletidas nas falas dos vereadores durante as sessões da Câmara. Semanalmente, são inúmeras indicações de limpeza de terrenos públicos, urbanização de áreas, capinação, obras de melhorias e revitalização de praças, entre outras, apresentadas pelos parlamentares.

Para o secretário, as reclamações norteiam o trabalho da secretaria, por isso, considera como positivas. Hoje, as principais reclamações que chegam até a Sear, segundo ele, são a falta de cuidados com as praças e a disposição irregular de resíduos (móveis, madeira e restos de construção) nos bairros da periferia. O trabalho de zeladoria também será feito por 13 servidores da Sear e 10 trabalhadores temporários. Porém, Jorge adiantou que está em licitação a contratação de uma empresa para a capinação de 6 milhões de metros quadrados de áreas, com média de até 300 mil metros quadrados por mês.

De acordo ele, os trabalhos serão distribuídos por equipes nas quatro regionais administrativas do Parque Redentor, Vila Falcão, Bela Vista e São Geraldo, partindo das avenidas maiores em direção ao interior dos bairros, provavelmente, entre o final de novembro e começo de dezembro.

MULTA E LIMPEZA

Prática antes adotada e agora descartada pela prefeitura, a limpeza de terrenos particulares, com cobrança posterior, deixou de ser interessante, devido ao grande número de proprietários que não pagam pelo serviço depois de executado. O secretário afirmou que a fiscalização tem sido efetiva para reduzir o número de áreas malcuidadas pelos proprietários.

Das 2.517 denúncias confirmadas entre janeiro e novembro deste ano, 1.560 foram arquivadas devido à execução da limpeza. Das que restaram, após cancelamentos por duplicidade e outras situações, apenas 226 proprietários tiveram as multas inseridas na dívida ativa do município, por não limparem os terrenos. "Os dados mostram que os proprietários estão mais conscientes sobre a fiscalização", avaliou.

Ler matéria completa

×