Bauru

Política

Apoiadores de Eduardo Leite falam em prévias do PSDB maculadas e possível adiamento

por FolhaPress

21/11/2021 - 18h02

Divulgação

Tucano, símbolo do PSDB

A instabilidade do aplicativo de votação das prévias presidenciais do PSDB, que persiste desde o começo da manhã deste domingo (21), tem feito com que apoiadores e membros da campanha de Eduardo Leite (RS) falem em um processo já maculado e cogitem adiamento do processo ou abertura de mais dias para votação.

Eles dão como certo que, depois do ocorrido, a chapa vencida judicializará o processo, já que os possíveis prejuízos para os dois estariam muito claros.

Tucanos não têm conseguido votar desde as 8h30. O partido já ampliou o processo até as 18h, mas a campanha do governador do RS pediu reunião com a direção do PSDB para debater o problema.

O uso do aplicativo foi definido pelo PSDB mesmo após as campanhas de Doria e Leite apontarem falhas e fragilidades. O partido apostou na correção desses problemas até a votação.

Aliados de Leite afirmam que o processo já está maculado e que o encerramento da votação neste domingo (21) implicará em prejuízo inevitável para todos os candidatos, podendo gerar desequilíbrios.

Isso porque, argumentam, já havia equipes de mobilização com programação marcada para a manhã deste domingo (21) e que não puderam exercer suas atividades de estimular os tucanos a votar. Muitos deles já têm compromisso pela tarde e não poderão continuar com as ações.

Além disso, eles dizem acreditar que muitos eleitores que tentaram votar durante o dia podem não voltar a tentar. Segundo eles, o governador gaúcho seria mais prejudicado, porque sua campanha está mais espalhada pelo Brasil, ao passo que Doria concentraria seus votos em São Paulo.

Em nota, o diretório de Minas Gerais do PSDB, que apoia Leite, fala que não se trata somente de uma instabilidade no aplicativo, mas de uma "dimensão inviabilizadora do legítimo direito ao voto".

"Solicitamos que o ocorrido seja apurado e, com transparência de informações, o partido possa tomar as decisões corretas para para concluir o processo eleitoral das prévias partidárias sem prejuízo a qualquer um dos concorrentes e filiados", diz o texto.

Em nota, Marco Vinholi, presidente estadual do PSDB-SP, e Fernando Alfredo, presidente municipal do PSDB-SP, disseram que, das 8h às 12h, o aplicativo apresentava instabilidade, "o que tem impossibilitado os filiados de votarem".

"Somente em São Paulo são cerca de 26 mil (62% do total) credenciados que, neste momento, não conseguem acesso ao voto", afirmaram.

Ler matéria completa

×