Bauru

Política

Amazonas: tiros de espingardas de caça mataram Bruno e Dom

Perícia aponta que segundo corpo é mesmo de Bruno e o terceiro suspeito de envolvimento nas mortes se entrega

por FolhaPress

19/06/2022 - 05h00

Bruno Pereira levou três tiros, um deles na face, diz perícia

Brasília - A Polícia Federal informou neste sábado pela manhã (18) que o outro corpo encontrado na quarta (15), na região do Vale do Javari, é mesmo do indigenista Bruno Pereira, 41. Nesta sexta, a PF já tinha confirmado que o outro corpo era do jornalista britânico Dom Phillips, 57.

Ainda de acordo com a perícia, eles foram assassinados com armas de caça. Bruno foi atingido por três tiros, enquanto Dom foi morto com um tiro.

O exame, realizado pelos peritos da PF, indica que a morte de Dom foi causada por "traumatismo toracoabdominal por disparo de arma de fogo com munição típica de caça, com múltiplos balins [chumbinhos presentes em cartuchos de espingarda], ocasionando lesões principalmente sediadas na região abdominal e torácica".

Segundo a perícia, ele foi atingido por um tiro.

Já a morte de Bruno Pereira, segundo a PF, foi "causada por traumatismo toracoabdominal e craniano por disparos de arma de fogo com munição típica de caça, com múltiplos balins", os chumbinhos.

A PF diz ainda que, segundo a perícia, o indigenista foi atingido por dois tiros no tórax/abdômen e um outro tiro na face/crânio.

TERCEIRO ENVOLVIDO

Neste sábado, a Polícia Federal prendeu mais um suspeito de ter participado do assassinato dos dois. Jefferson da Silva Lima, que tem o apelido de Pelado da Dinha, é o terceiro investigado preso no caso.

Segundo a PF, Jefferson se encontrava foragido e se entregou na Delegacia de Polícia de Atalaia do Norte. Ele será interrogado e encaminhado para audiência de custódia.

Dois homens já estavam detidos pela morte de Bruno e Dom: Amarildo Oliveira, conhecido como Pelado, e o irmão dele, Oseney Oliveira, o Dos Santos.

Pelado prestou depoimento na terça (14) e confessou ter participado da morte do indigenista e do jornalista, de acordo com a polícia. No diante seguinte, ele levou os investigadores ao local do crime. Dois corpos foram localizados na região.

Sobre os depoimentos até aqui, Pelado mudou sua versão dos fatos. Em um primeiro momento, ele apontou duas pessoas como autoras do assassinato e disse ter participado da ocultação dos cadáveres. Agora, afirma que ele também realizou os disparos contra Bruno e Dom.

Nesse segundo depoimento, Pelado afirmou ter se juntado a Jefferson, com quem seguiu o barco da dupla e deu tiros de espingarda. Dos Santos disse não ter participação no assassinato. Pelado também nega que seu irmão tenha agido no caso, embora estivesse presente.

A polícia ainda apura a motivação dos crimes.

Ler matéria completa

×