Bauru

Política

CP e defesa tentam desconstruir dados elencados em oitivas

Dois depoimentos previstos para ontem foram adiados para a semana que vem

por Tânia Morbi

06/08/2022 - 05h00

A tentativa de desconstrução dos depoimentos desta sexta-feira (5) da Comissão Processante (CP) marcou o encontro, que contou com a oitiva do secretário de Negócios Jurídicos, Gustavo Bugalho, do engenheiro civil José Wilson de Macedo Júnior e da arquiteta Pérola Mata Zanotto, ambos da Secretaria de Obras.

Reafirmando o que foi defendido no depoimento da secretária de Educação, Maria do Carmo Kobayashi, no dia anterior, o secretário de Negócios Jurídicos também defendeu que a aquisição dos imóveis, alvo da investigação da CP, foi para atender a demanda de estudantes fora da rede escolar.

Apesar dos diversos questionamentos feitos pelo advogado, por parte da Comissão Processante, apenas o relator Guilherme Berriel (MDB) inquiriu Bugalho de forma mais enfática. Mas a tentativa de mostrar pontos de vista diferentes sobre as ponderações de ambos os lados marcou os depoimentos dos dois últimos participantes. Por serem técnicos, a defesa buscou mostrar que as avaliações dos imóveis seguiram os mesmos critérios legais, inclusive para precificação, que os usados em desapropriações de outras gestões.

Enquanto Chiara Ranieri defendeu que, apesar das mesmas normas, os processos anteriores contaram com debates amplos, respeitaram a opinião dos vereadores, inclusive por meio da comissão de Educação e Assistência Social, que ela preside.

Os depoimentos do diretor da Procuradoria Geral, Marcelo Barros de Arruda Castro, e do secretário de Economia e Finanças, Everton de Basílio foram remarcados para próxima semana.

Ler matéria completa

×