Bauru e grande região

Regional

Garça tem cachoeiras inexploradas

Matas, grotões e trechos de "areião" da Corredeira são algumas das rotas preferidas de 'aventureiros' de bikes nos finais de semana

por Aurélio Alonso

04/12/2016 - 07h00

Piramba MTB/Divulgação
Cachoeira no Sítio São Mateus no município de Garça é uma das quedas d' água catalogadas pelo grupo de bike Piramba MTB  

O município de Garça (70 quilômetros de Bauru) está encravado entre as micro-bacias do Peixe e Aguapeí com matas, grotões e cachoeiras com alturas variáveis. Pouco exploradas, esse potencial para esportes radicais vem sendo descoberto por grupos de ciclistas que aproveitam os finais de semana para percorrer estradas vicinais em áreas de Mata Atlântica.

O Piramba MTB, por exemplo, catalogou a existência de 40 cachoeiras no entorno do município e de cidades vizinhas com uso de aplicativo que marca as coordenadas e latitude. O turismólogo e advogado Vicente Conessa afirma que Garça tem potencial para explorar o turismo ecológico. Ele e seus colegas de mountain bike são os precursores da "descoberta" dessas trilhas numa área de 18,50 hectares. 

O município tem sua maior área localizada em território de espigões, onde há pequenos ribeirões convergindo todos para a formação dos Rios do Peixe, Tibiriçá e Feio.

A Secretaria de Turismo de Garça fez inventário turístico quando catalogou mais de 90 cachoeiras, mas o material ficou esquecido. Muitos desses desníveis ficam em áreas particulares. "Isso não foi para frente, a prefeitura tentou parceria com os particulares e acabou não viabilizando", comenta Vicente Conessa.

A proposta de incentivar o ecoturismo existe no plano de turismo do novo prefeito eleito João Carlos dos Santos (DEM). Conessa foi advogado na campanha eleitoral do candidato. "Incentivei muito que esse tema fizesse parte do programa de governo", comentou.

Integrante do grupo de mountain bike Piramba MTP, Conessa conheceu de perto as trilhas e a exuberância dessas áreas de ecoturismo. Inspirado no que Brotas conseguiu na área de turismo, ele acredita que se houver investimento o município pode ter essa nova opção para quem gosta de turismo de aventura com bicicleta. "O turismo em Garça está resumido apenas na Festa da Cerejeira. Acho que a Secretaria de Turismo deve tentar impulsionar o turismo ecológico", diz.

Outro grupo que também explora as trilhas é o "Corredeira Beach". Desde 2012, uma turma de amigos faz percursos entre Garça e Pirajuí, principalmente na "Corredeira", imensa área de "areião" com muita subida e desníveis que exigem muito preparo físico por parte dos ciclistas. De acordo com José Paulo, o gosto pelo esporte desde os tempos que serviu o Exército em Lins, Campos e Itu é o que motivou a integrar o "Corredeira Beach", que também tem página na Internet e defende que Garça tem potencial turístico com as trilhas e cachoeiras.

Trilhas ajudam a chegar nas cachoeiras

Nestes tempos em que se trabalha muito, as atividades de lazer e esporte são procuradas para atenuar o estresse do dia a dia. O passeio de mountain bike por longas trilhas tem conquistado a simpatia de quem gosta de conhecer novos lugares. É bem isso o que os integrantes do Piramba MTB e o "Corredeira Beach" fazem nos finais de semana. É por essas trilhas que eles "mapearam" as cachoeiras e melhores trajetos ao longo do espigão onde nasce duas importantes micro-bacias hidrográficas: Peixe e Aguapeí na região de Garça.

O termo Piramba vem de "pirambeira" (subida muito íngreme, grande declive para descer ou aclive para subir), justamente o que seus adeptos gostam de fazer: andar de bike por trilhas acidentadas, enquanto o "Corredeira Beach" prefere trecho de "areião" existente nas estradas entre Presidente Alves, Pirajuí e Garça.

O design gráfico Thiago de Araújo Guimarães Vieira Bulho é do Piramba MTB que participou do grupo que catalogou 40 cachoeiras. Ele veio de São Paulo há pouco tempo e reside atualmente em Garça.

O grupo tem Facebook e página na Internet com o mapa das cachoeiras e até levantamento de animais encontrados ao longo das trilhas. "A diferença entre os grupos de bikes é que o Corredeira faz passeios em trilhas de terra e asfalto. O Piramba vai às cachoeiras, entra em trilhas difíceis, leva a bicicleta nas costas. O outro grupo gosta mais de pedalar".

Segundo Thiago Bulho, o levantamento das cachoeiras foi feito com um aplicativo que disponibiliza os dados no Google Maps o que facilita a localização. "Desde 2006 fazemos esses passeios, mas em 2011 começamos a montar o blog com a divulgação das cachoeiras e dos passeios", conta Thiago, dono de agência de publicidade. "Na página na Internet está cadastrada 40 cachoeiras, mas a região tem muito mais do que isso. A maior parte fica em propriedade particular", conta Thiago.

As Cachoeiras do Pneu, atrás do bairro Paineira, e do Carcará em área pública têm despejo de esgoto tratado localizada em Garça. "O cheiro da água é complicado", conta o design.

Os percursos variam de 20 km a 100 km. A Fazenda da antiga Companhia Inglesa, em Gália, é um dos percursos preferidos. Há várias trilhas nesta região, que passam pela igreja de São João do Tibiriçá. "Quando a gente vai fazer a trilha seja de noite ou de dia, sempre tem uma pessoa que já fez o percurso", conta.

Mas já houve do grupo ficar perdido na mata, quando foi até a Cachoeira do Paredão, que fica entre Garça e Gália. "Esse percurso fica perto da fazenda Duratex. Ali entramos durante o dia e saímos por volta de 22h depois de dois dos integrantes irem resgatar", conta Thiago.

De bike pelas trilhas da Corredeira

As cachoeiras são um dos cenários que os amantes da natureza percorrem na bacia da micro bacia hidrográfica do Peixe e Aguapeí. O "Corredeira Beach" está em atividade desde 2012 para praticar passeios de mountain bike. O comerciário José Paulo descobriu o hobby por conta de gostar de praticar esporte, hábito adquirido nos três anos de serviço militar prestados no Exército.

Residente no distrito de Jafa, José Paulo conta que usava a bicicleta para ir trabalhar em Garça. "Daí em diante conheci outros amigos e começamos a fazer trilhas. Criamos um grupo no Facebook e expandimos, participando de percursos em estradas de terra e também de asfalto", conta.

Embora conheça o Piramba MTB, José Paulo explica que o tipo de percurso do seu grupo de bike é mais na região da Corredeira, repleta de "areião" com muita subida de desníveis que exigem um grande preparo físico por parte dos ciclistas. "Essa região é excelente para a prática de esporte, são muitos os trajetos a serem explorados", conta.

Na página do grupo na Internet é explicado porque chama "Corredeira Beach" - a segunda palavra em inglês em português se chama "praia" que é difícil alguém não gostar. "Por isso se faz uma comparação no sentido de 'ironia' em relação a essa trilha pouco desejada para os praticantes de mountain bike". 

As trilhas mais difíceis ficam para os domingo, mas o grupo que chega a ter até 15 integrantes também "treina" no meio da semana durante à noite entre 19h e 22h. Quem quiser saber mais pode acessar o (https://pirambamtb.com/) ou (https://www.corredeirabeach.com.br/).

Advogado acredita no potencial turístico das cachoeiras de Garça

O advogado e turismólogo Vicente Conessa é um defensor do projeto de Garça investir no ecoturismo. De acordo com ele, a prefeitura do município fez um inventário ambiental quando catalogou mais de 90 cachoeiras.

"Foi feito esse trabalho e depois ficou esquecido. A maior parte delas fica em área particular. Pelo que pude entender, a prefeitura tentou parceria e não deu certo", ressaltou.

Ele faz parte do Piramba MTB, grupo de bike que faz trilhas por cachoeiras da região. Na última eleição municipal, Conessa foi advogado da campanha do prefeito eleito João Carlos (DEM). "Sou turismólogo formado e na campanha fiz o plano de governo na área de turismo. Esse foi um tema que inclui e quero que isso prospere. O prefeito eleito já definiu o secretário Fabio Bonato que tem interesse em investir no turismo ecológico no município", conta.