Bauru e grande região

Regional

Tático Rodoviário resgata cinco macacos-prego na rodovia SP-280

Primatas estão entre os ameaçados de extinção e, depois dos cuidados necessários, voltarão ao habitat natural; casal foi autuado por tráfico de animais

por Francisco Brunelli

07/12/2017 - 08h05

Fotos: Tático Ostensivo Rodoviário/Divulgação
Os 5 macacos-prego resgatados em apreensão pelo Tático Ostensivo Rodoviário, em Itatinga

Cinco macacos-prego foram resgatados e apreendidos pelo Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) de Botucatu, no final da tarde de quarta-feira (6), no quilômetro 208 da rodovia Castello Branco (SP-280), em Itatinga (120 quilômetros de Bauru). Um casal de São Paulo foi autuado por tráfico de animais silvestres e crimes ambientais, mas, após assinatura de um termo circunstanciado, foi liberado.

De acordo informações passadas pelo TOR, um veículo VW/Parati, com placas de São Paulo, teria sido observado pelos policiais em um pedágio de Itatinga manobrando para outra cabine de pagamento e foi abordado. Em vistoria, foram apreendidos os cinco primatas da espécie "cebidae", conhecidos como macacos-prego.

No carro estavam uma motorista de 34 anos e um passageiro de 35 anos, com uma criança de 2 anos. O casal alegou estar em viagem a passeio.

Ainda segundo os policiais do TOR, os macacos-prego estavam escondidos sob os bancos dianteiros, junto com papéis, restos de alimento, ferramenta (martelo) e uma embalagem de lubrificante para motores.

A equipe encaminhou os macacos-prego ao Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres (Cempas), da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Botucatu, onde serão cuidados e, posteriormente, devolvidos ao seu habitat.

A Polícia Ambiental autuou o casal e aplicou multa de R$ 82.000,00, referente ao transporte de espécie da fauna silvestre nativa sem autorização, além das infrações referentes aos maus-tratos sofridos pelos animais.

Ambos foram conduzidos para a Polícia Civil de Botucatu, onde assinaram um termo circunstanciado, concordando em comparecer a um Juizado Especial Criminal.

Os macacos-prego foram levados ao Cempas, da Unesp de Botucatu, para serem cuidados e, depois, serão devolvidos ao seu habitat

Veja o vídeo: