Bauru e grande região

Regional

Autor de assalto devolve dinheiro e pede perdão em Botucatu

12/06/2019 - 22h50

Um homem de 43 anos confessou à polícia, nesta quarta-feira (12), que se arrependeu de um assalto praticado contra uma lanchonete, no centro de Botucatu (100 quilômetros de Bauru), na última segunda-feira (10), segundo informou o site Agência14News.

O assalto foi praticado no final da tarde, quando o homem parou o carro na frente da lanchonete, entrou e segurou uma funcionária, ameaçando-a com uma faca, segundo o site Agência14News. Em seguida, ele pegou R$ 470,00 em dinheiro do caixa e fugiu. Tudo isso foi gravado por câmeras de segurança.

Site Agência14News 
 
Advogado Marco Aurélio fala com o autor do assalto 

O autor do assalto concedeu uma entrevista à reportagem do site quando se apresentava na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) ao lado do seu advogado Marco Aurélio Capelli Zanin. “Eu estava precisando de dinheiro e no momento eu parei, sem intenção de entrar lá a princípio. Rodei, rodei ali, até parar o carro e entrei. Perguntei o preço do salgado, aí voltei para o carro e quando resolvi cometer o ato foi por desespero. Eu precisava pagar uma dívida. Achei que fosse conseguir um pouco mais do valor. Sai com o carro, porém parei uma rua mais para baixo e fiquei pensando, mas era tarde. Resolvi esfriar um pouco a cabeça e depois conseguir um pouco de dinheiro para procurar um advogado e me entregar. Eu resolvi contar para a pessoa que eu trabalho hoje e que resolveu me ajudar. Até falei com delegado que eu queria pedir perdão para eles (da lanchonete) porque me arrependi do que eu fiz, mas até agora não falaram nada - se eles querem meu perdão”, comentou o autor. 

O homem contou ainda que foi reconhecido no vídeo. “Depois que viram o vídeo, pessoas começaram a me ligar, procurando me ajudar, porque sabem que a gente não é de má fé. Na hora do desespero, eu perdi a noção. E gostaria de agradecer ao advogado Marco Aurélio que esteve comigo quando devolvi o dinheiro e a arma do crime. Quero me redimir do que eu fiz”, finalizou. 

O delegado Celso Olindo informou ao site Agência14News que, logo após o crime, os policiais estiveram no estabelecimento comercial dando início às investigações e com as imagens do assalto, a DIG chegaria ao autor.

“Ele alegou estar devendo para sogra que ficou doente e não tinha como devolver esse dinheiro e, desesperado, praticou crime. A confissão e a devolução do dinheiro são atenuantes e isso pode diminuir a pena ao final do processo. Ele responderá inicialmente em liberdade porque se apresentou espontaneamente”, explicou o delegado.

Defesa 

O advogado Marco Aurélio Capelli Zanin comentou o caso. “O autor confessou o crime, que foi praticado em um ato de desespero, restituiu o valor que foi subtraído e agora o Poder Judiciário terá ciência do fato pelo inquérito digital que o delegado Celso Olindo vai encaminhar para o Fórum".

Segundo o advogado, ele será processado pela prática de roubo qualificado com atenuante da confissão e devolução do dinheiro. "Existe atenuante da primária idade, confissão e a devolução do valor, então creio com bastante convicção que o Poder Judiciário enxerga também não só o delito cometido, mas a característica do agente no caso. Muito provavelmente ele responderá o processo liberdade e a condenação possa ser transformada em prestação de serviços, como previsto no processo penal”, finalizou.