Bauru e grande região

Regional

Voluntários em festa têm carro furtado e ganham R$ 4 mil com cartela doada

Os dois, que são devotos de Santo Antônio, padroeiro da festa, atribuem a um milagre o fato de ganharem o prêmio após furto do veículo do casal

18/06/2019 - 07h00

Joici Bolsoni/Divulgação
Padre Armando Rodolfo Valencise comemora o prêmio com o casal José Olinto e Vera Lúcia

Jaú - Embora famoso por ser casamenteiro, Santo Antônio também é conhecido por alguns fiéis por recuperar objetos dados como perdidos. Mas seja qual for a graça solicitada, devotos em Jaú (47 quilômetros de Bauru) revigoraram a própria fé, neste último final de semana, ao acompanharem a história do casal Vera Lúcia e José Olinto Ricci, voluntários da paróquia que leva o nome do santo.

No primeiro dia de festa em homenagem ao religioso (31 de maio), o carro deles, estacionado próximo à igreja, foi furtado, enquanto ambos trabalhavam no evento. Cinco dias depois, o VW/Gol prata, usado para o trabalho que garante o pão de cada dia à família, foi localizado "depenado". Porém, no último domingo à noite, ao final da trezena da festa, a cartela doada ao casal foi sorteada no "show de prêmios". Os dois voltaram para casa com R$ 4 mil, que serão utilizados para recuperar o veículo.

E foi justamente o 13 que fechou a sequência numérica vitoriosa, sendo 13 de junho a data estabelecida para homenagear Santo Antônio. "Foi um milagre, marcado por muita emoção. Muita gente chorou comigo e com meu marido. Parecia vitória da Seleção Brasileira: todo mundo comemorando junto", comenta Vera.

Ela e o esposo são voluntários na igreja há cerca de quatro anos, desde quando a capela tornou-se paróquia. Vivem no bairro Santo Antônio de Jaú há 33 anos e quando ela morava em Itapuí também frequentava a igreja batizada com o nome do santo, onde se casou com José Olinto. "Fomos muito abençoados", garante.

SUSTO

Eletricista, José fez toda a instalação elétrica da igreja para a festa de Santo Antônio. Já Vera Lúcia é coordenadora da barraca de pastel. Quando o primeiro dia de festa terminou, decidiram dar carona a dois jovens voluntários, quando perceberam o furto. Choraram de tristeza. "É um carro ano 94, onde estavam algumas ferramentas do meu marido. Era antigo, mas estava sempre com a manutenção em dia porque ele é usado para o trabalho. Nem tínhamos acabado de pagar o pneu", comenta Vera.

De acordo com ela, após o Gol ser localizado cinco dias depois do delito, a comunidade iniciou um levantamento do prejuízo para ajudá-los. "O padre Armando Rodolfo Valencise ficou muito chateado", comenta.

A consternação foi sentida por outras pessoas da comunidade, sendo que uma delas, Lourdes João Pedro, doou ao casal a cartela para o último "show de prêmios" dirigido exclusivamente aos 250 fiéis que adquiriram o carnê para ajudar na reconstrução da igreja. "Como meu filho está desempregado, não compramos. Decidimos deixar mais para frente, quando as coisas melhorassem. Como estávamos trabalhando, também não acompanhamos o sorteio. Pedi para a Joici Bolsoni marcar os números", explica a mulher, mãe de Sara, 31 anos, e Gabriel, 27 anos.

Quando ganharam o prêmio, ela e o marido ainda puderam escolher entre receber dinheiro ou um Fusca; optaram pelo primeiro para recuperar o automóvel. "Foi a primeira vez que uma coisa tão forte acontece conosco", finaliza a devota.