Bauru e grande região

Regional

Equoterapia da educação em Botucatu

Projeto promoveu a interação entre pais e alunos, no Rancho São Francisco, no Bairro Demétria, para avaliação da evolução dos atendidos

21/07/2019 - 07h00

Fotos Divulgação
Equitação pode ajudar com exercícios para equilíbrio, coordenação e postura, bem como ganhos físicos, psicológicos e educacionais

Este ano, foram selecionados 50 alunos da Rede Municipal de Ensino de Botucatu para participar do projeto com os cavalos

Botucatu - O Centro de Equoterapia de Botucatu (100 quilômetros de Bauru), localizado no Rancho São Francisco, no Bairro Demétria, recebeu nesta semana uma atividade especial de interação entre pais e alunos que são atendidos pelo Projeto Equoterapia.

O evento, direcionado aos familiares das crianças assistidas no Centro contou com a presença do secretário municipal de Educação, Valdir Paixão e da Coordenadora de Educação Especial, Cristiane Tonini. Eles puderam conferir os avanços alcançados através da dinâmica com os cavalos utilizados no projeto.

A prática da equitação pode ajudar as crianças com exercícios para o equilíbrio, coordenação e postura, bem como ganhos físicos, psicológicos e educacionais.

De acordo com José Figueiroa de Oliveira, pai do aluno Caetano, estudante do 4º ano da Escola Angelino de Oliveira, com apenas dois meses no Projeto de Equoterapia, os avanços do filho foram enormes.

"Depois que ele começou no Projeto, percebemos que o comportamento, as notas e o entrosamento com os outros alunos melhoraram muito. Ele é hiperativo e não conseguia se concentrar para fazer as lições.

O Rancho São Francisco, no Bairro Demétria, realizou uma atividade especial de interação entre pais e alunos que são atendidos pelo Projeto Equoterapia

Meu filho mudou 'da água para o vinho' e estamos muito felizes com o trabalho que vem sendo realizado pelo pessoal da Equoterapia. Agradecemos muito à Escola Angelino que teve a sensibilidade de acolhê-lo e à Secretaria de Educação por disponibilizar às crianças este tipo de atendimento", disse Figueiroa.

Este ano, foram selecionados 50 alunos da Rede Municipal de Ensino das escolas Américo Virgílio dos Santos, Dr. João Maria de Araújo Junior, Angelino de Oliveira e Francisco Guedelha, para participar do projeto, que é realizado uma vez por semana no Rancho São Francisco.