Bauru e grande região

Regional

Discussão salarial emperra em Arealva

Servidores reclamam que prefeitura não atende o sindicato; Executivo diz que está analisando os pedidos da categoria

por Lilian Grasiela

09/10/2019 - 06h00

Prefeitura de Arealva

Prefeitura de Arealva diz que está analisando pauta de reivindicações

Arealva - A campanha de negociação salarial dos servidores públicos municipais de Arealva (41 quilômetros de Bauru) parece estar longe de terminar. Os funcionários, que têm a data-base em março, reclamam que não recebem aumento real há anos e que a prefeitura estaria se negando a atender o sindicato da categoria. O Executivo, por sua vez, afirma que está analisando as reivindicações dos servidores.

No dia 4 de setembro, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bauru e Região (Sinserm) realizou assembleia com os funcionários públicos de Arealva. No dia 9, a entidade protocolou na prefeitura a pauta de reivindicações aprovada pela categoria e ofício solicitando informações sobre cargos de confiança.

No dia 20, o Sinserm solicitou o agendamento de uma reunião com o prefeito Elson Banuth Barreto (PSDB) para o último dia 1 de outubro para discutir os pedidos dos servidores. Porém, de acordo com o advogado do Sinserm, José Francisco Martins, até o momento, não houve nenhuma resposta da administração.

"É uma prática do prefeito não atender o sindicato", declara. "Os servidores estão acumulando perdas salariais, estão com a carreira congelada. A única coisa que eles estão tendo é a revisão dos vencimentos perante o salário mínimo porque, pela Constituição Federal, não podem receber remuneração abaixo".

O advogado explica que irá aguardar uma resposta da prefeitura até a semana que vem antes de recorrer à justiça. Segundo ele, na assembleia, a categoria autorizou o ajuizamento de dissídio coletivo. "É uma ferramenta jurídica que podemos usar para forçar uma eventual negociação e eventual acordo", revela.

RESPOSTA

Em nota, a Prefeitura de Arealva informou que está analisando a pauta de reivindicações para adequar eventuais reajustes salariais ao cenário orçamentário e responsabilidades fiscais impostas pela legislação. O município revela que, em 2017 e 2019, elaborou projetos reajustando o vale-alimentação da categoria.

"Todas as cláusulas pautadas pelo respectivo sindicato estão sendo analisadas e postas em discussão pelos setores responsáveis na presente municipalidade e, após exposição dos entraves financeiros, orçamentários ou jurídicos, faremos os principais esforços para valorizar a nossa força motriz de labor", diz.

Ler matéria completa