Bauru e grande região

Regional

Chuva deixa 5 mortos na região

Em Botucatu, dois homens e duas mulheres morreram; em Marília, vítima foi o funcionário de uma concessionária de rodovias

por Lilian Grasiela

12/02/2020 - 03h59

Entrevias/Divulgação

Caminhão e veículo foram 'engolidos' por cratera na SP-333, em Marília; uma pessoa morreu, no carro

Até o fim da noite desta terça-feira (11), a região contabilizava cinco mortes decorrentes da chuva forte que atinge o Estado nos últimos dias. Além de um motorista que teve o caminhão "engolido" por uma cratera na Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu, e foi achado sem vida nesta segunda-feira (10), ontem, outros três corpos - de um homem e duas mulheres - foram localizados. O governador em exercício, Rodrigo Garcia, visitou a cidade para avaliar os estragos (leia mais abaixo). Em Marília, funcionário de uma concessionária morreu após cair em cratera que se abriu na rodovia Dona Leonor Mendes de Barros (SP-333).

Em Botucatu, anteontem, a tubulação que canalizava o rio Lavapés e passava sob a SP-300, na altura do km 258, não suportou o grande volume de água e se rompeu. Um caminhão com placas de Porto Feliz foi arrastado para dentro do rio. No fim da tarde, o veículo e o corpo do motorista, identificado como Epaminondas Macedo Souza, de 50 anos, foram encontrados a cerca de um quilômetro da cratera, próximo à cachoeira da Pavuna. Morador de Porto Feliz, ele foi sepultado ontem em sua cidade.

Os Bombeiros ainda faziam buscas por duas pessoas que estavam em um carro arrastado pela água ao tentar passar sobre a ponte do Rio Capivarinha, na rodovia Alcides Soares, perto do bairro Vitoriana. O veículo foi achado vazio. Posteriormente, houve a confirmação que havia 3 pessoas no carro - o casal Maria Cristina Infante Ferri, 63 anos, e Norival Ferri, 64 anos, e a irmã de Maria, Silvia Tereza Infante Vieira, de 73 anos. Os corpos dos três, que moravam no bairro da Mina, foram localizados.

Em Marília, o pavimento da SP-333 cedeu na madrugada na altura do quilômetro 308 e uma cratera se abriu, dividindo a pista. Um caminhão e um veículo da Entrevias, que administra o trecho, caíram no buraco. O motorista do caminhão havia desembarcado antes que o buraco se formasse e escapou ileso, mas um funcionário da concessionária, Claudio de Goes Machado, de 58 anos, morreu. "A Entrevias está prestando todo o apoio à família da vítima".

A concessionária declarou que inspeção técnica realizada no local e no entorno não apontou indícios de anormalidade e as primeiras avaliações indicam o excesso de chuva como causa do incidente. "Em 2019, a empresa realizou avaliação do sistema de drenagem no trecho, em função das obras de duplicação a serem realizadas, e os resultados indicaram que o dimensionamento do sistema de drenagem estava correto", informou. "A concessionária, por meio de seu corpo técnico, já iniciou o projeto de reconstrução da pista, assim como do sistema de drenagem. A empresa acredita, em uma primeira estimativa, que a liberação do tráfego nos dois sentidos possa acontecer em cerca de 30 dias, com boas condições climáticas".

INTERDIÇÕES E DESVIOS

Na região de Botucatu, as interdições e desvios podem ser consultados no mapa abaixo. Em Marília, o trânsito na SP-333 está interditado nos dois sentidos na altura do km 308. O desvio para quem segue no sentido oeste (Borborema-Marília) está sendo feito na altura do km 299, em direção a Garça pela SP-349 e de Garça a Marília pela SP-294.

No sentido leste (Marília-Borborema), o tráfego está sendo desviado no km 314, em direção a Lins, pela BR-153. Depois, deve seguir pela Rondon até Guarantã e acessar a SP-333. Para quem vai de Marília a Júlio Mesquita, siga pela SP-294 até Garça e, de lá, pela SP-349 até Júlio Mesquita.

Governador em exercício visita áreas atingidas pela chuva em Botucatu

Prefeitura de Botucatu

Governador em exercício, Rodrigo Garcia conversa com o prefeito de Botucatu, Mário Pardini, sobre estragos da chuva

O governador em exercício, Rodrigo Garcia, visitou Botucatu na manhã desta terça-feira (11). Acompanhado do prefeito Mário Pardini (PSDB), que decretou estado de emergência e calamidade pública, ele percorreu áreas afetadas pelas fortes chuvas da madrugada desta segunda-feira (10), como a rua Rafael Sampaio e a ponte do Salgueiro.

"Em conversa com o governador João Doria, viemos avaliar, realizar um plano de contingência para garantir a integridade e o abastecimento de água da população e já darmos o passo inicial nos projetos estruturantes. Também olhamos estradas da região e acionamos as concessionárias para que rapidamente restabeleçam as ligações entre municípios", disse Garcia.

Entre 0h e 12h de anteontem, choveu 270 milímetros em Botucatu. O Rio Lavapés, que corta a cidade, transbordou em vários pontos. Além de casas, clubes e comércios ficaram inundados. Ao todo, sete pontes caíram e outras cinco ficaram danificadas. Segundo a Defesa Civil, 155 pessoas ficaram desabrigadas e 30 estão alojadas no Ginásio Municipal de Esportes.

"Tão logo o Estado e o governo federal homologuem nosso decreto de calamidade, poderemos adotar um regime especial de contratação para reconstrução do município e até assinar convênios de repasses para nos ajudar nessa trabalhosa missão", declarou Pardini.

Ler matéria completa