Bauru e grande região

Regional

Sistema barra cheiasem dois municípios

Foram movimentados 250 mil metros cúbicos de água do rio Lençóis e ribeirão Paraíso

por Lilian Grasiela

14/02/2020 - 04h13

Divulgação

Mesmo com as fortes chuvas, apesar do volume acima do normal, rio Lençóis não transbordou

O Conselho Técnico do Comitê Gestor da Bacia Hidrográfica do Rio Lençóis (CGBH-RL) informou nesta quarta-feira (12) que o Procedimento Padrão de Monitoramento Climático e Ambiental (PPMCA) evitou ocorrência de inundações em Lençóis Paulista e São Manuel - com lâminas d'água de mais de 2 metros de altura - decorrentes das fortes chuvas dos últimos dias.

De acordo com o órgão, entre os dias 9 e 10 de fevereiro, o acumulado geral de chuva na área da Bacia Hidrográfica do Rio Lençóis foi de 1.102 milímetros. "Choveu nas 48 horas de análise padrão de pluviometria na bacia do rio Lençóis 90% a mais que a cota pluviométrica máxima do mês de fevereiro", revela.

O Conselho explica que o Comitê e a Defesa Civil de Lençóis Paulista, em parceria com uma empresa signatária da gestão integrada da bacia, vêm operando em períodos críticos de cheias duas Estações de Medições Fluviométricas para medir em tempo real todas as variáveis hidroambientais do rio Lençóis.

"A operação das variáveis hidroambientais do rio Lençóis por telemetria fluvial possibilitou que medidas operacionais de transposições de volumes do rio Lençóis da montante para jusante fossem tomadas já nas primeiras horas da manhã do dia 10 de fevereiro para movimentar um volume de 250.000 metros cúbicos de águas do rio Lençóis e ribeirão Paraíso, em São Manuel, e evitar uma inundação de grandes dimensões na cidades de Lençóis Paulista e São Manuel", revela.

O sistema de transposição de volumes fluviais no rio Lençóis é a movimentação de águas através da abertura de duas barragens, uma localizada a montante e outra localizada a jusante do rio Lençóis, para movimentar o fluxo do rio e controlar a vazão e o nível por telemetria.

Ler matéria completa