Bauru e grande região

Regional

Coronavírus: três mortes suspeitas

Pacientes de Bariri, Marília e Jaú morreram com sintomas da doença e aguardam resultado de exames do Instituto Adolfo Lutz

por Lilian Grasiela, Cinthia Milanez e Bruno Freitas

24/03/2020 - 06h00

Divulgação

Paciente de 79 anos foi levado de Bariri para Santa Casa de Jaú

Três mortes de pacientes com suspeita do novo coronavírus (Covid-19) estão sob investigação na região. Além de um idoso de 79 anos, de Bariri, a lista inclui um morador de Marília, que morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte, e um paciente que estava internado no Hospital Amaral Carvalho (HAC), em Jaú.

O caso que está sendo investigado em Bariri (56 quilômetros de Bauru) e aguardando o resultado de exame do Instituto Adolfo Lutz é o de um homem de 79 anos que morreu na tarde deste domingo (22), na Santa Casa de Jaú, para onde foi transferido com um problema respiratório grave.

Segundo o prefeito de Bariri, Neto Leoni, ele já sofria com dificuldades desta natureza antes da pandemia, mas o quadro clínico do idoso piorou nos últimos dois dias e, antes de ir a óbito, ele foi submetido a uma tomografia. "Fizeram o exame e acabaram suspeitando de Covid-19", explica.

O interventor da Santa Casa de Bariri, o médico Marco Antônio Gallo, conta que o paciente tinha fibrose pulmonar. "Mesmo assim, entrou como caso suspeito, por conta do resultado da tomografia e do fato de ter recebido, há cerca de 15 dias, a visita de parente que vive em São Paulo", diz.

Ainda segundo o chefe do Executivo de Bariri, a equipe médica de Jaú coletou material e encaminhou para análise. No entanto, não há qualquer confirmação da doença. Por isso, Neto Leoni chegou a determinar a retirada da notícia sobre a morte do idoso do site e redes sociais da prefeitura.

Também neste domingo, o prefeito de Marília (100 quilômetros de Bauru), Daniel Alonso, através da Vigilância Epidemiológica, informou que um homem de 49 anos, portador de comorbidades (acamado por AVC), morador da Zona Norte da cidade, morreu com suspeita de coronavírus.

O paciente deu entrada na UPA Norte na noite de sábado (21) com dificuldade para respirar, desconforto respiratório, febre, saturação menor que 95%, desidratado e descorado, sofreu parada cardiorrespiratória e morreu no domingo de manhã. Ele não se vacinou contra H1N1 no último ano. "Ressaltamos que foram colhidas amostras laboratoriais, abrindo investigação para SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e Covid-19", informou a prefeitura por meio de nota. "Lembrando que o paciente não viajou para o exterior e não teve contato com suspeitos de coronavírus".

Também por meio de nota, a Direção Técnica e Médica e a Gerência Médica do Hospital Amaral Carvalho (HAC) de Jaú (47 quilômetros de Bauru) comunicou nesta segunda-feira (23) o óbito, ocorrido durante a madrugada, de um paciente que estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da unidade, vítima de Síndrome Respiratória Aguda Grave, após uma Síndrome Gripal.

Segundo o hospital, seguindo os protocolos do Ministério da Saúde para casos suspeitos de coronavírus, a Vigilância Epidemiológica do Estado foi notificada e houve coleta de material para análise no Instituto Adolfo Lutz. Sexo e idade do paciente não foram informados. "Todos os colaboradores que atenderam a este caso estavam em uso de equipamentos de proteção individual", declara.

CASOS SUSPEITOS

Levantamento feito pelo JC aponta que a região soma, pelo menos, 139 casos suspeitos de coronavírus: Botucatu (50), Marília (32), Santa Cruz do Rio Pardo (11), Ibitinga (8), Barra Bonita (7), Lins (7), Lençóis Paulista (6), Jaú (4), Garça (3), Bariri (3), Igaraçu do Tietê (2), São Manuel (1), Macatuba (1), Agudos (1), Dois Córregos (1), Mineiros do Tietê (1), Iacanga (1). Em Bauru, outros 57 casos são considerados suspeitos. Nenhum caso foi confirmado até agora na região.

Centrais de atendimento ajudam na triagem dos casos e no esclarecimento

Prefeitura de Botucatu

Central Coronavírus de Botucatu conta com 5 postos de atendimento

Pelo menos três cidades da região montaram centrais de atendimento telefônico para orientar a população sobre os sintomas do novo coronavírus e locais de atendimento médico.

Em Lençóis Paulista, o serviço teve início nesta segunda-feira (23) e funcionará de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h. Os números de telefone são (14) 99820-2378, (14) 99651-9016 e (14) 99748-4918.

Segundo a Secretaria de Saúde, apenas pessoas com sintomas moderados, como febre e mais alguma queixa gripal (tosse, coriza ou dor de garganta), e graves (febre, sintoma gripal e falta de ar) devem buscar atendimento.

Em Pederneiras, desde ontem, a Secretaria de Saúde disponibiliza um serviço de plantão médico por telefone para que os pacientes com sintomas de gripe não precisem ir até uma unidade de saúde e, desta forma, evitem aglomerações.

Quem apresentar sintomas como coriza, tosse, febre ou fadiga deve ligar para os números (14) 3283-2890, (14) 3284-4673 (ramal 212), 3252-3286 e (14) ou 99185-5773 para falar com um médico. Se houver necessidade, o paciente será orientado a procurar uma unidade de saúde.

Em Botucatu, também ontem, entrou em funcionamento a Central Coronavírus com cinco postos de atendimento telefônico que estão atendendo os cidadãos com dúvidas sobre a doença das 7h às 19h pelo número (14) 3811-1519.

Além disso, três equipes compostas por médicos e enfermeiros estarão à postos para realizar o atendimento domiciliar de casos considerados suspeitos de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Aos finais de semana e feriados, um médico e enfermeiros atenderão pacientes no Espaço Saúde, na Avenida Santana, 353, Centro, das 7h às 19h.

Itápolis decreta 'toque de recolher' e muda comércio

A Prefeitura de Itápolis adotou como medida preventiva de enfrentamento ao coronavírus o controle e a suspensão de atendimento presencial em estabelecimentos comerciais, nesta segunda-feira (23), incluindo também o 'toque de recolher' das 20h30 às 6h. A população deve evitar, ao máximo sair de suas residências e passou a ser proibida a circulação na cidade após as 20h30, exceto para aqueles que estiverem trabalhando ou em tratamento médico.

O comércio deve manter fechado o acesso ao público, podendo atender por aplicativos, internet ou telefone com delivery. Das 20h30 às 22h, lanchonetes, restaurantes, marmitarias e pizzarias, só poderão trabalhar com delivery.

Supermercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, lojas de conveniência, lojas de venda de alimentação para animais, distribuidores de gás, lojas de venda de água mineral, padarias, postos de combustível e instituições bancárias deverão encerrar expediente às 20h30.

Os atendimentos dos estabelecimentos de prestação de serviços só podem ser feitos com agendamento e atender um cliente por vez. Está proibido o atendimento presencial em bares, para evitar aglomeração de pessoas, e o transporte de passageiros em mototáxi ou táxi, sendo permitido só o transporte de mercadorias para 'delivery'.

Ler matéria completa