Bauru e grande região

Regional

Botucatu restringe acessos à cidade para medir temperatura

Duas entradas serão fechadas e as demais contarão com bloqueios para monitorar febre de pessoas que chegam

por Lilian Grasiela

26/03/2020 - 05h03

Prefeitura de Botucatu

Quem apresentar temperatura maior do que 37,8 graus deve procurar uma unidade de saúde local

Botucatu - Novo decreto publicado pela Prefeitura de Botucatu (100 quilômetros de Bauru) autorizou o fechamento total de duas entradas do município visando ao controle do acesso de pessoas com possíveis sintomas do novo coronavírus (Covid-19). Nas demais entradas, estão sendo feitos bloqueios para medir a temperatura corporal de todos os motoristas e passageiros de veículos que chegam à cidade com objetivo de prevenir a disseminação da doença.

As duas entradas que foram totalmente bloqueadas ficam na rodovia Marechal Rondon (SP-300), nos acessos à avenida Jayme de Almeida Pinto, na Cohab 1, e à rua Francisco Arias, na Cohab do Sesi. "Os condutores deverão seguir para as entradas que permanecem abertas e contam com bloqueio orientativo", explica a prefeitura em nota.

Os acessos que permanecem abertos são os da avenida José Pedretti Neto, avenida Itália, rua Campos Salles (acesso a Vital Brasil), avenida Conde Serra Negra e avenida Dante Delmanto. "Agora, todos os condutores e passageiros que passarem pelas vias de acesso ao município terão a temperatura corpórea medida", revela o Executivo.

Quem apresentar temperatura maior do que 37,8 graus deve assinar termo se comprometendo a procurar uma unidade de saúde local e a cumprir medidas de isolamento social. Atuam nos bloqueios equipes das Polícias Militar e Civil, Defesa Civil e pastas da Infraestrutura e Educação e Zeladoria, além de agentes da Guarda Civil Municipal (GCM).

O prefeito Mário Pardini ressalta que não impedirá as pessoas de entrar ou sair de Botucatu. "Estamos aumentando nossa atenção a população a fim de reiterar a necessidade de permanecerem em casa", declara. "Não vamos impedir ninguém de entrar ou sair da cidade, mas sim encaminhar pessoas com febre para o atendimento de saúde".

Ler matéria completa