Bauru e grande região

 
Regional

Botucatu: suspeito morre e 2 PMs ficam feridos após ataque a banco

Criminosos tentaram furar bloqueios em quatro pontos; ação pode ser resposta às recentes apreensões de droga na região

por Lilian Grasiela, Bruno Freitas, Vitor Oshiro e Francisco Brunelli

31/07/2020 - 05h00

Vinicius Bomfim

Ladrões levaram dinheiro do cofre da agência do Banco do Brasil

Botucatu - Em uma ação organizada, no fim da noite desta quarta (29) e madrugada de quinta (30), cerca de 30 criminosos fortemente armados fizeram populares reféns, interceptaram a saída do Batalhão da PM com veículo em chamas e explodiram o cofre da agência do Banco do Brasil, que fica no Centro de Botucatu (100 quilômetros de Bauru). Na fuga, os ladrões tentaram furar bloqueios em 4 pontos, trocaram tiros com a polícia e chegaram a atear fogo em veículos em 2 trechos de rodovias para evitar a chegada de reforço. Dois PMs ficaram feridos e um suspeito foi morto em confronto na manhã de quinta (30). Parte do dinheiro roubado foi recuperada e fuzis apreendidos. Diligências seguiam até o fim da noite de quinta (30) para localizar os envolvidos.

A intensa troca de tiros avançou a madrugada e deixou moradores em pânico (leia mais na página 12). Vídeos gravados em vários pontos de Botucatu registraram o confronto e criminosos com reféns. Para dificultar a intervenção da PM, uma Toyota Hilux foi incendiada em frente ao prédio do 12º Batalhão. Após a explosão do cofre da agência do BB, que danificou a estrutura de outras duas agências próximas, os criminosos fugiram em vários veículos.

O comandante do Comando de Policiamento do Interior-7 (CPI-7), coronel Aleksander Toaldo Lacerda, conta que, assim que a ocorrência teve início, foi acionado Plano de Contenção de Ações Contra Estabelecimentos Bancários" e equipes da PM de Bauru, Jaú, Avaré e Piracicaba foram acionadas para montar bloqueios nas saídas da cidade para evitar confrontos na área urbana. Segundo Lacerda, os criminosos tentaram furar o cerco em quatro pontos diferentes. Houve troca de tiros e os ladrões abandonaram veículos e fugiram a pé. Na ação, dois PMs, de Sorocaba e Avaré, foram atingidos por disparos, mas sem gravidade. Eles foram conduzidos ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), onde permanecem internados, com quadro estável.

A quadrilha também incendiou dois caminhões no Km 263 da rodovia Marechal Rondon (SP-300), em São Manuel, e três veículos no Km 11 da rodovia João Hipólito Martins (SP-209), a Castelinho, em Botucatu, para tentar conter a chegada de reforço. Nos dois casos, de acordo com a concessionária Rodovias do Tietê, as pistas permaneceram totalmente interditadas para a contenção do fogo.

BALEADO

Na manhã desta quinta-feira (30), por volta das 9h, troca de tiros entre suspeitos que estavam em um EcoSport e policiais ocorrida na altura do Km 0 da rodovia Domingos Sartori (SPA-251), em Botucatu, resultou na morte de um homem de cerca de 40 anos, cuja identidade não havia sido informada até fechamento desta edição. Ele chegou a ser atendido no Pronto-Socorro do HC, mas não resistiu.

Até o final da noite, a polícia havia apreendido sete fuzis, de calibres .762 e .556, um fuzil calibre .50, uma metralhadora nove milímetros, munições, coletes e artefatos explosivos, além de recuperar sete veículos, incluindo dois roubados de vítimas de Botucatu, e parte do dinheiro roubado do Banco do Brasil. O valor levado pela quadrilha, assim como o montante recuperado, não foram informados.

Em nota, o Banco do Brasil afirmou que a explosão causou danos estruturais em parte do prédio da agência. "Após a liberação da unidade, equipes de engenharia e manutenção do BB serão deslocadas para o local, quando iniciarão avaliação dos danos e procedimentos de limpeza", diz. "O BB trabalha para a normalização do atendimento no menor espaço de tempo, mas ainda não é possível fixar prazo para sua normalização".

INVESTIGAÇÕES

O delegado seccional de Botucatu, Lourenço Talamonte Netto, informou que a perícia nas armas e veículos apreendidos já foi realizada e que a Polícia Civil está fazendo o cruzamento dos dados da ocorrência com investigações relacionadas a crimes semelhantes na região, com a autoria já conhecida. Segundo ele, os trabalhos, que estão a cargo da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), contam com apoio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Capital.

Veja os vídeos:

Retaliação?

Durante entrevista coletiva em Botucatu, o secretário da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, disse não acreditar que a ação criminosa seja uma possível retaliação do crime organizado a apreensões de cargas valiosas de entorpecentes feitas recentemente pela polícia na região. "Eu prefiro partir pela linha de que há um enfrentamento. Nós nunca apreendemos tanta droga quanto de janeiro a julho deste ano. Nós estamos dando uma pancada dura no crime, não só na apreensão dos ativos, como também na apreensão de armas", disse. Somente neste mês, conforme divulgado pelo JC, na rodovia Castello Branco (SP-280), em Itatinga, a Polícia Militar Rodoviária realizou três grandes apreensões de drogas. No dia 2 de julho, cerca de 4 toneladas de maconha foram apreendidas. No dia 17, foram mais de 8,2 toneladas da droga. Na última terça-feira (28), a polícia apreendeu mais de meia tonelada de cocaína pura, avaliada em R$ 16 milhões.

Ler matéria completa