Bauru e grande região

 
Regional

Suspeito de assaltos a bancos é preso

Investigação aponta que o homem tem ligação com os roubos cometidos em Bauru, Botucatu, Ourinhos e Iacanga

por Larissa Bastos

13/09/2020 - 05h00

Malavolta Jr.

Delegado Cledson Nascimento

A Polícia Civil prendeu, na noite desta sexta-feira (11), um homem suspeito de participar dos assaltos a bancos em Bauru, Botucatu, Iacanga e Ourinhos. Ele, que foi localizado no bairro Lauzane Paulista, na Zona Norte de São Paulo, ficou conhecido nacionalmente por ter invadido a apuração do Carnaval de São Paulo e rasgado as fichas com as notas das escolas de samba, em 2012.

O suspeito, de acordo com a agência Estadão Conteúdo, é Tiago Tadeu Faria, de 34 anos, conhecido como Gianecchini.

De acordo com o delegado Cledson Nascimento, titular da 3.ª Delegacia de Homicídios e da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), vinculadas à Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Bauru, durante o inquérito, foi constatada semelhança nos assaltos de Ourinhos, em 2020, e Iacanga, em 2016. "Nas comparações, ficou claro que ele seria um dos três assaltantes [de Iacanga]. Fizemos o reconhecimento fotográfico e as pessoas que estavam no banco reconheceram ele. Então, foi expedido um mandado de prisão temporária", explica Nascimento, relatando que o suspeito também tinha sido abordado por policiais em Ourinhos, meses antes do assalto.

As informações, então, foram repassadas à Deic de São Paulo, que prendeu Tiago anteontem. Na manhã deste sábado (12), ele foi transferido a um presídio da região de Bauru.

RELEMBRE OS CRIMES

Conforme o JC noticiou, em setembro de 2016, três homens invadiram uma agência do Bradesco, em Iacanga, e fizeram funcionários, seguranças e clientes reféns. O suspeito preso ontem é o primeiro a ser capturado em relação a este crime, segundo o delegado Cledson Nascimento, que também investiga o assalto ao Banco do Brasil, em maio deste ano, em Ourinhos.

Em Botucatu, em julho último, um grupo de 30 criminosos explodiu a agência do Banco do Brasil, trocou tiros com a polícia e fez moradores reféns. Em relação a este caso, foram repassadas informações sobre Tiago à DIG de Botucatu.

Também houve troca de informações do preso com a Polícia Federal de Bauru, sobre o assalto à Caixa Federal, em setembro de 2018. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de SP, Tiago também é suspeito de ter participado de explosões a bancos no Rio Grande do Norte, em 2017.

Ler matéria completa