Bauru e grande região

 
Regional

Projeto ensina montaria em tambor e tira jovens das ruas em Piratininga

A iniciativa Cowboy Consciente conta com a colaboração de um professor de Educação Física e um cowboy profissional

por Cinthia Milanez

28/11/2020 - 05h00

Arquivo Pessoal

Caio, Halison, Thiery, Igor, Felipe, Lucas, Robson, Thiago Pereira e Felipe Magalhães: as aulas ocorrem às terças e quintas-feiras, das 18h às 19h, em uma quadra ao lado do Samu

Piratininga - Com o intuito de tirar os jovens das ruas, em Piratininga (13 quilômetros de Bauru), o Projeto Cowboy Consciente ensina montaria em tambor gratuitamente. A iniciativa conta com a colaboração de um professor de Educação Física e um cowboy profissional.

Segundo o idealizador da ação, o professor de Educação Física Felipe Magalhães, ele tocava o Projeto Resgate, que consistia em uma série de entrevistas com os piratininguenses que se destacaram em qualquer esporte. 

Neste momento, o profissional conheceu o cowboy profissional Thiago Pereira. "Eu dediquei boa parte da minha vida ao futebol e passei por uma base antes de me especializar. Só que, no caso da montaria, ele revelou que o pessoal aprende na raça. A partir daí, surgiu a ideia de ensinar a prática às crianças e, consequentemente, afastá-las das ruas", acrescenta.

Há quatro meses, a dupla se juntou e tirou o projeto do papel. "Eu cuido do treinamento físico. Antes, converso com os alunos por 15 minutos sobre a importância de estudar e ficar longe das drogas. Já o Thiago fica com a parte técnica da montaria", descreve.

Inicialmente, Felipe relembra que as crianças usavam duas bolas de pilates pertencentes ao professor, mas, há pouco tempo, o grupo conseguiu adquirir alguns tambores para o treinamento mais adequado.

Falando nisso, a aquisição só foi possível graças à participação da comunidade. "Nós leiloamos uma leitoa e angariamos os R$ 2 mil necessários para comprar os equipamentos", narra.

PÚBLICO-ALVO

O projeto abriga 30 crianças e jovens de 9 a 21 anos, que usam uma quadra pública situada ao lado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). "O espaço estava abandonado e eu trabalhei para revitalizá-lo, ao comprar refletores, arrumar as grades e instalar cestas de basquete", informa.

As aulas ocorrem às terças e quintas-feiras, das 18h às 19h. "Nós optamos por usar os tambores, justamente, para não maltratar os animais", complementa.

Paralelamente, Felipe toca o Projeto Futsal da Vila, às quartas-feiras e aos sábados. A iniciativa ensina, gratuitamente, a modalidade para mais de 40 jovens de 15 a 18 anos.

SERVIÇO

Para obter outras informações ou, até mesmo, ajudar os dois projetos sociais tocados por Felipe, basta entrar em contato através do telefone (14) 99856-2697.

Ler matéria completa