Bauru e grande região

Regional

Santa Cruz decreta 'fase vermelha'

Com aumento nos casos de Covid e lotação dos leitos para a doença, prefeito irá manter só serviços essenciais por 7 dias

por Lilian Grasiela

14/01/2021 - 05h00

Reprodução/Facebook

Prefeito Diego Singolani (PSD) decidiu regredir por conta própria para a fase vermelha do Plano São Paulo

Santa Cruz do Rio Pardo - Em razão do aumento expressivo nos casos suspeitos e confirmados de Covid-19, e com a rede hospitalar saturada, a Prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo (90 quilômetros de Bauru) decidiu regredir por conta própria para a fase vermelha do Plano São Paulo e manter em funcionamento apenas os serviços essenciais durante sete dias. As mudanças valem a partir desta quinta-feira (14).

No dia 8 de janeiro, o Departamento Regional de Saúde 9 (DRS-9) de Marília, do qual Santa Cruz faz parte, havia sido rebaixado pelo estado da fase amarela para a fase laranja do Plano. Mesmo com o aumento das restrições, a doença vem avançando de forma preocupante, o que levou o prefeito Diego Singolani (PSD) a tomar a decisão de fechar o comércio e outros serviços não essenciais.

Em vídeo publicado na noite de terça-feira (12) na página do Facebook da prefeitura, o chefe do Executivo revelou que, em 24 horas, 84 casos suspeitos de Covid-19 foram notificados no município e 35 novos casos positivos foram divulgados. Além disso, de acordo com ele, o total de pacientes internados na Santa Casa da cidade com a doença saltou de 24 para 36 no mesmo período.

"Todos os equipamentos hospitalares da região de Marília estão lotados", declarou. "A única forma de se tentar o recuo do número de casos é fazendo o isolamento. E para que as pessoas fiquem isoladas em suas casas, há necessidade de se estabelecer um novo decreto regredindo Santa Cruz do Rio Pardo não para a fase laranja, mas para a fase vermelha, de alerta máximo".

MUDANÇAS

O decreto com as novas regras foi publicado nesta quarta-feira (13). Segundo o documento, até o dia 20 de janeiro, só está liberado o atendimento presencial nos supermercados, padarias, açougues, lojas de ração, bancas de jornais, casas lotéricas, bancos, oficinas mecânicas, revendas de água e gás de cozinha, postos de combustível e serviços de saúde, como farmácias e óticas, em horários pré-determinados.

Atividades religiosas em igrejas e templos estão autorizadas, com entrada apenas de maiores de dez anos e duração máxima de uma hora, além de respeito às regras de higiene e distanciamento. Já o funcionamento de estabelecimentos comerciais, de serviços e de lazer, como pesqueiros, casas noturnas, barbearias, salões de festas, cabeleireiros e academias de esportes, fica proibido.

As lojas podem realizar entregas mediante delivery ou drive thru, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. No caso de lanchonetes, restaurantes, sorveterias, food trucks e lojas de conveniência, o atendimento por delivery ou drive thru pode ser feito todos os dias, das 8h às 22h. Já bares e comércios de bebidas podem atender da mesma forma, de segunda a sábado, das 8h às 20h.

Hotéis e pousadas não poderão receber novos hóspedes durante uma semana e atividades presenciais em escolas das redes pública e privada estão suspensas. A realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na cidade será permitida, desde que observados protocolos sanitários. O decreto determina, ainda, o uso obrigatório de máscaras para maiores de três anos.

As penalidades

Em caso de descumprimento das determinações estabelecidas no decreto, os responsáveis ficam sujeitos a multas que variam entre 5 e 15 Unidades Fiscais do Município (UFMs), além da suspensão do funcionamento dos estabelecimentos por prazo que varia de 2 dias úteis até o período em que durar a pandemia da Covid-19. "A fiscalização da prefeitura irá continuar trabalhando de forma contínua e ampliada para fiscalizarmos e aplicarmos as penalidades", declarou o prefeito Diego Singolani. 

Ler matéria completa