Bauru

Regional

MP realiza buscas na Santa Casa de Bariri

Operação, que contou com o apoio das Polícias Civil e Militar, faz parte de investigação que apura uso de recursos públicos

por Lilian Grasiela

15/05/2021 - 05h00

Diego Santos/Bariri Rádio Clube

Mandados de busca na Santa Casa de Bariri foram cumpridos por promotores do MP e policiais civis e militares

Bariri - Na manhã desta sexta-feira (14), o Ministério Público (MP) deflagrou uma operação com objetivo de apurar eventuais crimes contra a administração pública durante o período de intervenção na Santa Casa de Misericórdia de Bariri (56 quilômetros de Bauru). A atuação integra investigação em andamento que apura gastos públicos da entidade e eventual falta de publicidade envolvendo emprego desses recursos.

Em nota, o MP disse que "foram cumpridos mandados judiciais expedidos pela 2ª Vara Judicial da Comarca de busca e apreensão em endereços, bem como na própria sede da Santa Casa". "Participam da operação dois promotores de Justiça, dois delegados de polícia, policiais civis e militares", informou.

O órgão não deu detalhes sobre os locais onde foram realizadas buscas e nem sobre teor dos documentos apreendidos. Também em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) explicou que policiais civis de Bariri, Itaju e Boraceia apoiaram o MP, apreendendo material contábil e financeiro e aparelhos eletrônicos, que serão periciados. A PM declarou que atuou na operação para garantir a segurança externa do prédio.

A Prefeitura de Bariri ressaltou que acompanhou as buscas na Santa Casa e que equipes da administração conversaram com promotores e investigadores. "Nos colocamos a disposição para auxiliar em tudo o que for possível, e em todas as requisições que fizerem. Da mesma forma, estaremos buscando regularizar qualquer apontamento que seja feito, e buscando os responsáveis por qualquer ponto que seja apontado", afirmou.

INVESTIGAÇÃO

Conforme divulgado pelo JC na semana passada, por meio de inquérito civil instaurado pela Promotoria de Justiça de Bariri, o MP vem acompanhando medidas para transparência e acesso a dados envolvendo gastos públicos ligados à requisição administrativa da Santa Casa local, que está sob intervenção municipal após apresentar inconsistências na prestação de contas, assim como a gastos específicos para combate à Covid.

No procedimento, os promotores Nelson Aparecido Febraio Junior e Gabriela Silva Gonçalves Salvador pedem ao prefeito e interventor da Santa Casa Abelardo Mauricio Martins Simões Filho, o Abelardinho (MDB), que explique por qual razão a entidade não tem observado a necessidade de obediência aos ditames legais e constitucionais para contratações públicas, já que está sob regime de requisição pública.

Os membros do MP requereram, ainda, relação detalhada de todos os recursos públicos destinados à Santa Casa nos quatro primeiros meses de 2021 e esclarecimentos sobre a contratação de assessoria jurídica pela entidade, com custo mensal estimado em R$ 12 mil. Entre outras diligências, informações foram solicitadas também ao ex-chefe do Executivo que detinha a responsabilidade primária sobre a intervenção. Na ocasião, a Prefeitura de Bariri argumentou que age "com a maior lisura possível", para "transparência de suas ações".

Ler matéria completa