Bauru

Regional

Suspeito de assassinar a facadas mulher em Igaraçu é preso em Lins

O crime ocorreu no dia 10 de julho e havia um mandado de prisão por envolvimento com o crime

por João Vitor Motta - Estagiário sob Supervisão

21/07/2021 - 16h11

Reprodução/S2 Notícias

Crime ocorreu próximo a uma vicinal que liga Igaraçu a um clube de campo em Barra Bonita

Um suspeito de assassinar uma mulher com 17 facadas em Igaraçu do Tietê foi preso durante uma operação do Policiamento Rodoviário de Lins, na rodovia Marechal Rondon, no km 444, na terça-feira (20).

A Polícia Rodoviária, após verificar os sistemas inteligentes instalados ao longo da rodovia, constataram um alerta em relação a um veículo GM/Celta com placas de Igaraçu do Tietê, com uma queixa de roubo.

A equipe em patrulhamento abordou o veículo e encontrou 3 pessoas no carro. Apesar de não haver nenhuma irregularidade, além da queixa de roubo, o grande nervosismo e a situação inexplicada levou os policiais a desconfiar da situação e a encaminhar a ocorrência para a Central de Polícia Judiciária de Lins.

Na Central, após consultas mais detalhadas, foi constatado que havia um mandado de prisão contra um dos ocupantes, por envolvimento em crime de latrocínio, ocorrido no dia 10 de julho.

Uma mulher de 57 anos foi encontrada morta em um canavial com 17 facadas pelo corpo. O acusado foi detido no local e posteriormente encaminhado para a Cadeia de Avaí.

O veículo foi apreendido para exame pericial. As outras duas pessoas foram qualificadas e liberadas.

RELEMBRE O CASO

Uma trabalhadora rural de 57 anos foi morta com pelo menos 17 facadas, neste sábado (10), em Igaraçu do Tietê (71 quilômetros de Bauru). O caso foi registrado como homicídio e a Polícia Civil iniciou as investigações para tentar identificar e prender o autor do crime.

O corpo de M.S. (apenas as iniciais foram divulgadas pela polícia) foi avistado por uma pessoa, por volta das 10h30, às margens de um carreador de cana-de-açúcar na zona rural, nas proximidades de uma vicinal que liga a cidade a clube de campo em Barra Bonita.

O delegado plantonista da Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Jaú, onde a ocorrência foi registrada, Durval Izar Neto, conta que a vítima, que morava em Igaraçu, apresentava cerca de 12 perfurações causadas por faca no tórax e outras cinco na região das costas.

Segundo ele, a bolsa da mulher, com documentos pessoais e dinheiro que ela havia sacado do pagamento, foi queimada e o fogo chegou a chamuscar parte do abdômen dela. "A gente acredita que o crime tenha ocorrido pela manhã pela rigidez cadavérica", diz.

Após a perícia, o corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Jaú para a realização de exame necroscópico. Além da equipe plantonista da CPJ, policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) também estiveram no local para auxiliar nas investigações preliminares.

Ler matéria completa