Bauru

Regional

Bracell e MRS inauguram Terminal Intermodal de Pederneiras

Multinacional usará malha ferroviária para escoar celulose até o Porto de Santos

09/10/2021 - 05h00

Bracell/Divulgação

Da esq. para a dir., Eduardo Scolari, presidente da GMBX; Anderson Tanoto, diretor da RGE; Ivana Camarinha, prefeita de Pederneiras; e Guilherme Mello, presidente da MRS Logística

Executivos da Bracell, MRS e Greenbrier Maxion inauguraram na quinta-feira (7) um terminal ferroviário em Pederneiras (26 quilômetros de Bauru) dedicado ao transporte de celulose. O complexo foi construído por meio de parceria entre Bracell e MRS, com investimento de R$ 58,5 milhões, considerando ramal ferroviário e terminal, e se tornou um importante marco para o sistema logístico nacional.

A cerimônia contou com a presença da prefeita de Pederneiras, Ivana Camarinha; do vice-prefeito Joãozinho da Farmácia; do presidente da MRS Logística, Guilherme Mello; do presidente da Greenbrier Maxion Eduardo Scolari; do Head de Supply Chain da Bracell SP, Alberto Pagano; e do diretor geral da RGE, Anderson Tanoto.

Segundo a Bracell, sua fábrica em Lençóis Paulista exigirá complexa operação logística para transporte da celulose. A celulose chegará até o terminal em veículos rodo-trem, com frequência média estimada de 7 a 8 veículos/hora. O espaço dispõe de armazém com 9,6 mil m², destinado à recepção, estocagem, manuseio e o expedição da produção.

Na sequência, de acordo com a empresa, composições com a carga de celulose sairão do terminal de Pederneiras e percorrerão cerca de 510 km pela ferrovia até o Porto de Santos. As composições vão operar 24 horas, por 365 dias.

Cada composição é formada por até três locomotivas e 60 vagões, que levarão o equivalente a 113 caminhões.

A prefeita de Pederneiras, Ivana Camarinha, ressaltou a contribuição da Bracell para o desenvolvimento econômico da região. "A empresa é um sonho concretizado para nossa região. Agradeço por acreditarem no Brasil e no Estado de São Paulo. Este é o início de uma grande história que a empresa está construindo no interior de São Paulo", declarou.

"O Brasil tem que investir em logística, se não, não vamos ser competitivos. O Custo-Brasil existe e, se a gente não atuar para ter a multimodalidade eficiente, não vamos conseguir competir mundialmente", disse o presidente da MRS Logística, Guilherme Mello. O projeto envolveu também o desenvolvimento de um novo modelo de vagão, adequado ao transporte da celulose.

Ler matéria completa

×