Bauru

Regional

Botucatu: homem é suspeito de matar namorada e depois cometer suicídio

Um vizinho do imóvel na Vila Aparecida acionou a Polícia Militar e o Samu após escutar barulhos de tiros vindos da casa

por Marcele Tonelli

23/11/2021 - 05h00

Reprodução redes sociais

Vítima, Isabele Maria Vicentini, tinha 41 anos

Botucatu- A Polícia Civil investiga as circunstâncias de um crime, cometido na tarde desta segunda-feira (22), que terminou registrado como feminicídio seguido de suicídio, em Botucatu (100 quilômetros de Bauru). Isabele Maria Vicentini, de 41 anos, foi encontrada morta com três tiros na entrada da casa em que ela morava, na Vila Aparecida. O acusado do crime é o ex-namorado da vítima, Florêncio Ferreira Nunes Neto, de 45 anos, que também foi encontrado sem vida no quintal da casa com um tiro na cabeça.

O fato ocorreu por volta das 12h40, na residência que fica na Rua Stélio Machado Loureiro.

De acordo com o boletim de ocorrência, um vizinho do imóvel acionou a Polícia Militar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), após escutar barulhos de tiros vindos da casa.

Quando os PMs chegaram ao imóvel, o Samu já havia constatado o óbito do casal. Isabele estava caída perto da porta da cozinha, que fica na entrada da casa, com três disparos, que acertaram o tórax, o queixo e a face.

ARMA

Já o homem acusado de ter cometido o crime contra a ex estava morto em decúbito dorsal (com as costas voltadas para o chão), no quintal aos fundos do imóvel, com um disparo na têmpora direita (lateral) da cabeça.

A arma que teria sido utilizada foi encontrada caída ao lado dele, um revólver Taurus, calibre 32, com 4 tiros deflagrados e um picotado. A arma foi apreendida para perícia técnica.

Consta no registro policial, que a vítima residia no local com um familiar que teria deficiência, mas que não estava no imóvel no momento do crime.

O BO também aponta que, por meio de relatos de testemunhas, foi possível apurar que a vítima já teria sido ameaçada de morte pelo homem e que ambos brigavam muito quando formavam um casal. Eles não tinham filhos juntos.

A polícia acredita que o crime tenha ocorrido por motivos passionais, mas o caso segue em investigação.

Ler matéria completa

×