Bauru

Regional

Sentença do bando acusado de ataque em Botucatu deve sair apenas em dezembro

O julgamento foi realizado online e, agora, há prazos para que o Ministério Público (MP) e a defesa se manifestem

por Marcele Tonelli

24/11/2021 - 05h00

Reprodução redes sociais

Apreensões após o ataque a banco em Botucatu em 2020

Botucatu - Deve ser proferida pela Justiça apenas em dezembro deste ano a sentença condenatória de parte do bando acusado de ataque a agência bancária que aterrorizou Botucatu (100 quilômetros de Bauru), em 2020. Conforme o JC noticiou, quatro réus acusados de integrarem a organização criminosa passaram por audiência de instrução e julgamento por videoconferência, nesta segunda-feira (21) e terça-feira (22), mas, como o processo ocorre em meio online, há prazos para que, a partir de agora, o Ministério Público Estadual (MPE) e a defesa dos réus se manifestem. Somente após essas duas fases é que a juíza responsável pelo caso deve conceder a sentença por escrito (não há mais sessões por videoconferência).

A informação foi repassada pela assessoria da promotoria. Os quatro réus em questão são considerados os principais atuantes na ação criminosa ocorrida entre a noite de 29 de julho e madrugada de 30 de julho de 2020.

Além de roubos, eles são acusados de associação criminosa, disparos de arma de fogo, lesões corporais, danos, entre outros. Todos eles estão detidos em presídios estaduais de segurança máxima desde a prisão, realizada no ano passado pela Polícia Civil de Botucatu, que chegou a ser homenageada pelo Estado nos últimos dias pela atuação.

O processo que envolve o caso possui mais de 3 mil páginas. Nos últimos dois dias, de audiência de instrução e julgamento, 42 pessoas entre vítimas, testemunhas e policiais foram ouvidas na videoconferência, que ocorre sob segredo de justiça, ou seja, sem possibilidade de acesso da imprensa.

A expectativa é de que a sentença condenatória dos quatro réus seja concedida pela juíza Licia Izeppe antes do recesso do judiciário, que tem início em 19 de dezembro e segue até 6 de janeiro.

Mas, para isso, é preciso que as alegações finais do MPE assim como as sustentações das defesas dos réus ocorram dentro ou até antes dos prazos.

MAIS JULGAMENTOS

O processo que apura o crime cometido com as táticas hoje conhecidas como "Novo Cangaço" ou "Domínio de Cidades" foi desmembrado no curso das investigações.

Em maio deste ano, outros cinco acusados foram condenados, de 9 a 10 anos e 6 meses de prisão, por terem ajudado os criminosos durante o ataque.

Outra audiência de instrução sobre o caso está marcada para 25 de novembro e contempla outros três réus, que são apontados como integrantes da organização criminosa, mas essas pessoas não teriam participado diretamente das ações em Botucatu.

Na época em que o crime ocorreu, 18 pessoas chegaram a ser presas pela Polícia Civil.

O crime

A quadrilha é acusada de ter sitiado a zona urbana de Botucatu durante um roubo contra a agência do Banco do Brasil. Durante o crime, populares foram feitos reféns, a saída do Batalhão da PM foi interceptada com um veículo em chamas e um o cofre da agência bancária sofreu explosão. Na fuga, o bando ainda tentou furar bloqueios, houve troca de tiros por horas entre os ladrões e a polícia e os bandidos chegaram a atear fogo em veículos nas rodovias. Dois PMs ficaram feridos, sem gravidade, e um suspeito acabou morto.

Ler matéria completa

×