Bauru

Regional

Vereadores de Macatuba questionam prefeitura sobre incineração de feijão

Cerca de 400 quilos do produto foram destruídos; município alega que pacotes foram entregues pelo Estado já vencidos

por Lilian Grasiela

14/01/2022 - 05h00

Câmara de Macatuba

O feijão foi incinerado em uma cerâmica de Macatuba

Macatuba - Três vereadores de Macatuba (46 quilômetros de Bauru) solicitaram informações à prefeitura a respeito da incineração, nesta quarta-feira (12), de dezenas de quilos de feijão entregues pelo Governo do Estado em cestas básicas destinadas a pessoas em situação de vulnerabilidade social. O Executivo afirma, em nota, que 400 quilos do produto já chegaram impróprios para o consumo e que fez a substituição dos pacotes por outros que tinha em estoque para distribuir à população.

A incineração dos feijões ocorreu anteontem de manhã, em uma cerâmica da cidade, e foi registrada pelo parlamentar Paulo Neves (MDB). No documento protocolado na prefeitura, ele, Julio Saes (PTB) e Cristiano Mendes (PL) questionam o Executivo sobre a conferência das cestas recebidas do Estado. Eles alegam terem encontrado pacotes com vencimento em 7 de janeiro de 2022 e querem saber quando eles foram recebidos e por que não foram distribuídos antes de vencer.

Os vereadores também pedem informações sobre o destino dos demais alimentos que integravam as cestas básicas onde estavam os feijões. Para Neves, a alegação do município de que o produto estava vencido não se sustenta. Ontem, os vereadores estavam tentando localizar todas as embalagens dos feijões incinerados para verificar a data de vencimento dos itens. "Foram (incinerados) 26 sacos de lixo de 100 litros cheios de feijão, infelizmente. Isso é lamentável", criticou.

OUTRO LADO

Em nota, a Prefeitura de Macatuba declarou que o Fundo Social de Solidariedade recebeu as cestas básicas do Governo do Estado em julho. "Ao fazer uma conferência de rotina, antes de repassar às famílias carentes do município atingidas pela crise econômica causada pela pandemia, verificou-se que muitas embalagens de feijão estavam estragadas e com larvas, vencidas ou com datas de vencimento muito próximas - total de 400 kg do produto impróprios para o consumo", revela.

"Diante deste cenário, o Fundo Social de Solidariedade de Macatuba entrou em contato com o Procon-SP para notificar a cerealista responsável pela marca do feijão e ficou constatado que a mesma teria decretado falência e fechado as portas. Já em contato com a coordenadoria regional do Fundo Social do Estado de São Paulo, a orientação foi para que comprássemos o item e repuséssemos na cesta básica".

O Executivo cita que, como o Fundo Social de Solidariedade de Macatuba conta com o produto em estoque por conta de campanhas realizadas durante o ano, o item foi trocado e as cestas básicas foram enviadas às famílias carentes em condições normais. "Já o feijão vencido foi incinerado. O compromisso com a saúde pública e o respeito ao cidadão são alguns dos preceitos básicos que guiam os trabalhos da Prefeitura de Macatuba", diz.

Também em nota, o Fundo Social do Estado informou que Macatuba recebeu cestas básicas do programa Alimento Solidário em maio, julho e novembro de 2021. "A regra geral é que, recebidas as cestas básicas do Fundo Social, é responsabilidade do município distribuí-las às famílias em situação de pobreza e extrema pobreza, atentando para o prazo de validade e condição dos produtos (que, no caso do feijão, era de, no mínimo, 4 meses) e, no caso da constatação de eventuais irregularidades, comunicar a este órgão", afirma.

"Diante dos questionamentos apresentados por este jornal, este Fundo Social tentou na tarde de hoje (ontem), sem sucesso, contato com o Município de Macatuba para apurar o ocorrido, de forma a identificar com precisão os fatos narrados e os lotes específicos a que corresponde a presente denúncia. Amanhã (hoje), tão logo seja possível o contato com o Município, o FUSSP poderá se manifestar sobre a denúncia".

Ler matéria completa

×